A RELAÇÃO MÃE-BEBÊ NA PSICANÁLISE: um breve estudo teórico

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Vanessa Gomes Silva Karla Priscilla Lemgruber

Resumo

Nos anos iniciais, a relação mãe-bebê é de fundamental importância no processo de formação da psique humana. Vários estudiosos e psicanalistas tais como Klein, Bion, Winnicott e Bick têm pesquisado a relação mãe-bebê, seu impacto benéfico, suas falhas e as consequências destas na construção do aparelho psíquico. Embora em diferentes abordagens e conceitos, há um consenso entre os estudiosos aqui apresentados no que tange à importância dessa relação inicial para o desenvolvimento mental do indivíduo. Partindo dessa convergência entre os autores citados é que o presente trabalho aborda suas contribuições e o Método Bick de Observação de Bebês. Esther Bick, apoiada em Klein e Bion, criou o método com fins didáticos e atualmente é utilizado como meio de encontrar as falhas na relação inicial da mãe com o bebê, possibilitando a intervenção psicanalítica.


 


Palavras-chave: Mãe-bebê. Método Bick. Relação inicial. Intervenção

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
Silva, V., & Lemgruber, K. (2017, dezembro 15). A RELAÇÃO MÃE-BEBÊ NA PSICANÁLISE: um breve estudo teórico. Psicologia E Saúde Em Debate, 3(2), 90-102. https://doi.org/https://doi.org/10.22289/V3N2A8
Seção
Estudo Teórico