REDES SOCIAIS: Influências na construção da subjetividade do indivíduo

  • Gabriel Ferreira
  • Alessander Freitas Amaral
Palavras-chave: Redes sociais, internet, subjetividade, indivíduo

Resumo

INTRODUÇÃO: A Era tecnológica e das redes sociais na contemporaneidade, tem inserido alterações em diversos âmbitos da sociedade. Tais alterações acabam afetando as relações do indivíduo com o mundo, acarretando assim o surgimento de novas subjetividades. São nas redes sociais, onde o indivíduo vem se posicionando com o que é, ou aquilo que anseia ser. Pode-se considerar as redes sociais como lugares, em que as pessoas se identificam, e se agrupam diante da compreensão de pertencimento. Fazer parte de alguma comunidade nas redes sociais, é partilhar o mesmo lugar, as mesmas impressões, e sentimentos. OBJETIVO: O presente trabalho tem como objetivo expor sobre a influência das redes sociais na formação do indivíduo como pessoa e as novas formas de se relacionar, advindas junto com o surgimento das redes sociais e todo o aparato tecnológico o qual se evidencia nos dias atuais. MÉTODO: O trabalho foi realizado por meio de uma revisão bibliográfica conceitual, fundamentada em produções científicas disponíveis em base de dados indexadas. Foram utilizados estudos em português divulgados entre os anos de 2007, até 2016. RESULTADO: Observou-se que as redes sociais, causam impactos em diversos âmbitos na vida de seus usuários, como: alteração na percepção de tempo, onde no passado era corriqueiro o hábito de escrever cartas, hábito o qual colocava o indivíduo em uma situação de espera, devido ao longo tempo que se gastava para o destinatário receber, responder e enviar novamente. Outra mudança causada em seus usuários está relacionada ao dialogo nas redes sociais na internet, o qual provoca no indivíduo a experiência do imediatismo, onde se sustenta os sentimentos de ansiedade e estresse, sentimentos latentes na sociedade atual. Devido essas alterações na percepção de tempo e também espaço, as redes sociais, acabam provocando alterações nos processos de subjetivação. CONSIDERAÇÕES FINAIS:  Clareia-se o trilho favorável no sentido do aumento de futuras pesquisas. Todavia, as questões que são norteadoras para este artigo, ainda não estão claras. Os conhecimentos que evidenciam frutos, tanto negativos quanto positivos do uso das redes sociais, inclinam-se a delimitar o surgimento de novidades acerca de possibilidades elucidativas, reduzindo o alcance destes estudos e também do entendimento acerca de como estes eventos são vivenciados por seus utilizadores, que por consequência surgem lacunas no que se diz a reprodução das redes sociais na elaboração subjetiva moderna.

Em decorrência de tudo evidenciado até o atual momento, e na medida em que, todo esse aparato tecnológico vem surgindo, se mostra necessário buscar entender mais sobre este tema, e todos os possíveis impactos que o uso das redes sociais, juntamente com as novas tecnológicas, interferem na construção do sujeito, e assim consigamos estar munidos de um melhor entendimento para que possamos lidar de maneira mais sensata as possíveis consequências psicológicas disso, o presente estudo ressalta a necessidade de ampliação, tanto de pesquisas, quanto de intervenções mais amplas e aprofundadas sobre a temática. 

Publicado
2017-11-15
Como Citar
Ferreira, G., & Amaral, A. (2017). REDES SOCIAIS: Influências na construção da subjetividade do indivíduo. Psicologia E Saúde Em Debate, 3(Supl. 1), 36-37. https://doi.org/10.22289/V3S1A17
Seção
Anais das Semanas Da Psicologia - FPM