A ADOLESCÊNCIA SOB A ÓTICA PSICANALÍTICA: sobre o luto adolescente e de seus pais

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Laydiane Pereira Matos Karla Priscilla Lemgruber

Resumo

O seguinte trabalho tem por objetivo discorrer sob o enfoque psicanalítico alguns aspectos psíquicos que envolvem a complexa fase da vida intitulada adolescência, enfatizando os processos de luto pelos quais pais e filhos têm de passar. Para isso, foi realizada uma pesquisa exploratória de levantamento bibliográfico através de bases de dados como Scielo e Pepsic, além de consulta em obras clássicas de Psicanálise citando teóricos como Freud, Anna Freud, Erik Erikson, Aberastury e Knobel, dentre outros. O estudo mostrou que o pensar adolescente é repleto de características peculiares e distintas que justificam suas atitudes muitas vezes tidas como problemáticas. A maior parte dessas características está ligada ao processo de desprendimento necessário que o jovem tem de realizar em relação as figuras paternas. São os pais quem são os responsáveis por fornecerem continente, base e sustentação para que seus filhos adolescentes atravessem esse conturbado período de mudanças. Atitudes que constroem tal base devem iniciar-se logo nos primeiros anos de criação desses filhos, através da boa comunicação, diálogo, e uma certa dose de liberdade; e requer que esse cuidado se prolongue por toda a vida, exigindo que os pais permitam-se conhecer-se, repensar suas vivencias passadas enquanto adolescentes, e assumir verdades que nem sempre lhes agradam, para que venham – assim – situarem-se no momento presente e ressignificarem seus lugares enquanto pais e sujeitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
Matos, L., & Lemgruber, K. (2017, janeiro 1). A ADOLESCÊNCIA SOB A ÓTICA PSICANALÍTICA: sobre o luto adolescente e de seus pais. Psicologia E Saúde Em Debate, 2(2), 124-145. https://doi.org/https://doi.org/10.22289/2446-922X.V2N2A8
Seção
Artigo original