A ARTE COMO ESTRATÉGIA DE INTERVENÇÃO PSICOTERAPÊUTICA

I Simpósio Científico De Práticas Em Psicologia

  • Mayra Barros
  • Leonardo Ferreira

Resumo

 A relação entre o processo de criação artística e a subjetividade humana constitui um importante campo de estudo e intervenção psicoterapêutica. Diversos autores como Jung, Nietzsche, Schopenhauer, Freud, entre outros já destacaram o papel do processo criativo e da estética como forma de expressão da subjetividade humana. A arte torna-se assim uma estratégia terapêutica com benefícios para o tratamento de diversas patologias psíquicas. A arte e a psicoterapia constituem saberes que se interrelacionam na medida em que lidam com discursos e com o saber sobre o humano e a experiência da existência. Diante da autenticidade da arte como manifestação libertadora, sendo ação combinada entre conhecimento e sentimento, utilizando-se de sensibilidade, imaginação e técnica; revela a realidade humana social e cultural sensivelmente observada e sentida . Ao utilizar-se da arte no processo psicoterápico como instrumento de intervenção para a promoção de saúde e qualidade de vida em pessoas que apresentam sofrimento psíquico, há uma correlação que se dá a partir de vários elementos, sendo um deles a criatividade. A criatividade e a saúde compreendem instâncias que encontram-se relacionadas à existência humana e que os processos de criação artística, por sua qualidade inovadora e transformadora, apresentam um importante potencial terapêutico e curativo. A utilização da construção artística como ferramenta de atuação profissional com finalidade terapêutica é conhecida como arteterapia. Ela consiste num recurso terapêutico que, a partir da utilização do conhecimento de diversas áreas, se expressa enquanto prática transdisciplinar para resgatar o homem em sua integralidade em um processo de autoconhecimento e transformação. Por meio da expressão artística, o sujeito pode construir ou reconstruir suas dificuldades de relacionar-se consigo mesmo e com o mundo.

A arteterapia pode ser entendida como uma ciência fundamentada em medicina e artes em geral que, utilizando-se de fundamentação teórica, propõe o alívio ou cura dos indivíduos como uso de técnicas de expressão artística, priorizando o processo criativo. Enquanto prática profissional, a arteterapia pode utilizar-se de diversas manifestações, tais como: psicodrama, teatro terapêutico, escultura, desenho, pintura e outras formas de manifestação artística. Desta forma, pode-se compreender que a utilização psicoterapêutica da arte constitui uma estratégia muito importante na prática profissional do psicólogo, dadas as possibilidades de aplicação e a eficiência da arteterapia no tratamento de diversos transtornos psicológicos. Neste sentido, o presente estudo teve como objetivo pesquisar as interconexões existentes entre arte e psicoterapia, bem como suas possibilidades e limitações. Neste estudo, buscou-se ainda refletir sobre a arte enquanto estratégia de trabalho do psicólogo e ainda discutir os pressupostos fundamentais que sustentam a prática da arteterapia.

Publicado
2016-11-01
Como Citar
Barros, M., & Ferreira, L. (2016). A ARTE COMO ESTRATÉGIA DE INTERVENÇÃO PSICOTERAPÊUTICA. Psicologia E Saúde Em Debate, 2(Supl. 1), 1-4. https://doi.org/10.22289/2446-922X.V2S1A1
Seção
Artigo original