A IMPORTÂNCIA DO ENFERMEIRO ENQUANTO COORDENADOR NA EQUIPE DE ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA

  • Júlia Caroline das Mercês
  • Betânia Eneida de Morais FPM
  • Renata Ferreira dos Santos Oliveira
Palavras-chave: Atenção Básica, Coordenador, Enfermeiro, Gerência

Resumo

O enfermeiro, na Estratégia e Saúde da Família (ESF), realiza serviços administrativos e assistências, ele atua na coordenação de toda unidade e da equipe, trabalhando em prol da promoção e prevenção a saúde. O objetivo deste estudo foi reconhecer a importância do papel do enfermeiro enquanto coordenador de equipe e descrever suas funções gerenciais, relatando a importância do enfermeiro enquanto gestor no sistema de saúde. O estudo foi uma revisão literária narrativa conceitual embasada em artigos científicos, a busca ocorreu em plataformas vinculadas a saúde. A pesquisa apontou que o gerenciamento é fundamental para a dinâmica e funcionamento das ESF, por isso as atividades administrativas se tornaram ponto forte na atuação do enfermeiro, reconhecer quão importante elas são faz com que o profissional seja mais valorizado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Barbiani, R., Nora, C. R. D. & Schaefer, R. (2016) Práticas do enfermeiro no contexto da atenção básica: scoping review. Revista Latino Americana de Enfermagem, 24, 1-12. Recuperado em 14 maio, 2018, de http://www.scielo.br/pdf/rlae/v24/pt_0104-1169-rlae-24-02721.pdf.

Broca, P. V. & Ferreira, M. A. (2015). Processo de comunicação na equipe de enfermagem fundamentado no diálogo entre Berlo e King. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, 19(3), 467-474. Recuperado em 17 abril, 2018, de http://www.scielo.br/pdf/ean/v19n3/1414-8145-ean-19-03-0467.pdf.

Campos, R. T. O., Ferrer, A. L., Gama, C. A. P., Campos, G. W. S., Trapé, T. L. & Dantas, D. V. (2014). Avaliação da qualidade do acesso na atenção primária de uma grande cidade brasileira na perspectiva dos usuários. Saúde Debate, 28, 252-264. Recuperado em 18 junho, 2018, de http://www.scielo.br/pdf/sdeb/v38nspe/0103-1104-sdeb-38-spe-0252.pdf.

Conselho Federal de enfermagem. (2016). Resolução COFEN, número 0509/2016. Recuperado em 03 agosto, 2018, de http://www.cofen.gov.br/resolucao-cofen-no-05092016-2_39205.html.

Deus, R. L. (2013). O enfermeiro Frente aos sistemas Nacionais de Informação de interesse em saúde para o desenvolvimento de suas atividades na atenção primária de saúde. Recuperado em 22 agosto, 2018 de http://www.ufjf.br/admenf/files/2013/05/O-enfermeiro-Frente-aos-sistemas-Nacionais-de-Informacao-de-interesse-em-saude-para-o-desenvolvime

nto-de-suas-atividades-na-atencao-primaria-de-saude.pdf.

Fernandes, M. C. P. & Backes, V. M. S. (2010). Educação em saúde: perspectivas de uma equipe da estratégia saúde da família sob a óptica de Paulo Freire. Revista Brasileira de Enfermagem, 63(4), 567-573 Recuperado em 02 agosto, 2018, de http://www.scielo.br/pdf/reben/v63n4/11.pdf.

Fonseca, F. L. A., Guerrero, J. M. A. & Morgado, F. (2015). Melhoria de Processos no SUS como Proposta de Possibilidades mais Próximas de Mudanças: estudo piloto. Revista Faculcade Ciências Médicas de Sorocaba,17(2), 92-96. Recuperado em 20 agosto, 2018, de https://revistas.pucsp.br/index.php/RFCMS/article/viewFile/22399/pdf.

Formiga, J. M. M. & Germano, R. M. (2005). Por dentro da História: o ensino de Administração em Enfermagem. Revista Brasileira de Enfermagem, 58(2), 222-226. Recuperado em 3 agosto, 2018, de http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672005000200019.

Giroti, S. K. O., Nunes, E. F. P. A. & Ramos, M. L. R. (2008). As práticas das enfermeiras de uma unidade de saúde da família de Londrina, e a relação com as atribuições do exercício profissional. Semina: Ciências Biológicas e da Saúde, 29(1), 9-26. Recuperado em 5 novembro, 2017, de http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/seminabio/article/view/3418.

Greco, R. M. (2010). As funções administrativas em enfermagem. Recuperado em 25 março, 2018 de http://www.ufjf.br/admenf/files/2013/05/Aula-Adm-em-Enf-I-As-fun%C3%A7%C3%B5es-administrativas-em-enfermagem.pdf.

Guerrero, P., Mello, A. L. S. F., Andrade, S. R. & Erdmann, A. L. (2013). O acolhimento como boa prática na atenção básica à saúde. Texto & Contexto Enfermagem, 22(1), 132-140. Recuperado em 05 junho, 2018, de http://www.scielo.br/scielo.php?pid=s0104-07072013000100016&script=sci_arttext&tlng=pt

Hausmann, M. (2006). Análise do processo de trabalho gerencial do enfermeiro em um hospital privado no município de São Paulo: Possibilidades para o gerenciamento do cuidado. Dissertação de Mestrado. Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil. Recuperado em 19 novembro, 2017, de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7131/tde-03102006-102248/pt-br.php.

Ibañez, N., Rocha, J. S. Y., Castro, P. C., Ribeiro, M. C. S. A., Forster, A. C., Novaes, M. H. D. & Viana, A. L.D. (2006). Avaliação do desempenho da atenção básica no Estado de São Paulo. Ciência & Saúde Coletiva, 11(3), 638-703. Recuperado em 26 fevereiro, 2018, de https://www.scielosp.org/article/csc/2006.v11n3/683-703/.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2013). IBGE dá início à Pesquisa Nacional de Saúde. (PNS). Recuperado em 06 de agosto, 2018, de https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/14454-asi-ibge-da-inicio-a-pesquisa-nacional-de-saude-pns.html.

Mesquita, M. P. R. L. (2002). A dimensão gerencial da identidade profissional da(o) enfermeira(o) na percepção da equipe de enfermagem: uma perspectiva de construção coletiva. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Brasil. Recuperado em 17 março, 2018, de https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/84368

Ministério da Saúde. (2009). SUS democratiza o acesso do cidadão aos serviços de saúde. Recuperado em 13 junho, 2018, de http://www.brasil.gov.br/editoria/saude/2009/11/sus-democratiza-o-acesso-do-cidadao-aos-servicos-de-saude.

Ministério da Saúde. (2011). Portaria Nº 2.488, de 21 de Outubro de 2011. Recuperado em 5 agosto, 2018, de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt2488_21_10_2011.html

Ministério da Saúde. (2013). Atenção básica e a Saúde da Família. Departamento de Atenção Básica. Recuperado em 22 junho, 2018, de http://dab.saude.gov.br/portaldab/dab.php.

Ministério da Saúde. (2016). Protocolos de Encaminhamento da Atenção Básica para a Atenção Especializada. Recuperado em 15 agosto, 2018, de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/protocolos_atencao_basica_especializada_cardiologia_v_II.pdf.

Ministério da Saúde. (2017). Portaria Nº 2.436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Recuperado em 18 agosto, 2018, de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prt2436_22_09_2017.html

Oliveira, F. E. L., Fernandes, S. C. A., Oliveira, L. L., Queiroz, J. C. & Azevedo, V.R.C. (2012). A gerência do enfermeiro na estratégia saúde da família. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste, 13(4), 834-844. Recuperado em 12 novembro, 2017, de http://www.redalyc.org/html/3240/324027983013/

Oliveira, M. A. C. & Pereira, I. C. (2013). Atributos essenciais da Atenção Primária e a Estratégia Saúde da Família. Revista Brasileira de Enfermagem, 66, 158-164. Recuperado em 28 agosto, 2018, em http://www.scielo.br/pdf/reben/v66nspe/v66nspea20.pdf.

Pavoni, D. S. & Medeiros, C. R.G. (2009). Processos de trabalho na Equipe Estratégia de Saúde da Família. Revista Brasileira de Enfermagem, 62(2), 265-271. Recuperado em 19 abril, 2018, de http://www.scielo.br/pdf/reben/v62n2/a15v62n2.pdf.

Pinto, A. A. M. & Fracolli, L. A. (2010). O trabalho do agente comunitário de saúde na perspectiva da promoção da saúde: considerações práxicas. Revista Eletrônica de Enfermagem, 12(4), 766-769. Recuperado em 8 maio, 2018, de https://www.fen.ufg.br/revista/v12/n4/v12n4a24.htm.

Silva, I. S. & Arantes, C. I. S. (2017). Relações de poder na equipe de saúde da família: foco na enfermagem. Revista Brasileira de Enfermagem, 70(3), 607-615. Recuperado em 10 agosto, 2018, de http://www.scielo.br/pdf/reben/v70n3/pt_0034-7167-reben-70-03-0580.pdf.

Silva, V. G., Motta, M. C. S. & Zeitoune, R. C. G. (2010). A prática do enfermeiro na Estratégia Saúde da Família: o caso do município de Vitória/ES. Revista eletrônica de enfermagem, 12(3), 441-448. Recuperado em 12 agosto, 2018, de https://revistas.ufg.br/fen/article/view/5278/7860

Soares, C. E. S., Biagioni, R. E. M. & Bertolozzi, M. R. (2013). Atribuições do enfermeiro na unidade básica de saúde: percepções e expectativas dos auxiliares de enfermagem. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 47(4), 915-92. Recuperado em 22 março, 2018, de http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v47n4/0080-6234-reeusp-47-4-0915.pdf.

Souza, R. S., Ferrari, R. A. P.; Santos, T. F. M.; & Tacla, M. T. G. M. (2013). Atenção à saúde da criança: prática de enfermeiros da saúde da família. Revista Mineira de Enfermagem, 17(2), 340-348. Recuperado em 16 agosto, 2018, de http://www.reme.org.br/artigo/detalhes/653.

Teixeira, C. (2011). Os Princípios Do Sistema Único De Saúde. Texto de apoio elaborado para subsidiar o debate nas Conferências Municipal e Estadual de Saúde. Salvador, Bahia. Recuperado em 25 novembro, 2017, em https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/3023433/mod_resource/content/4/OS_PRINCIPIOS_DO_SUS.pdf.

Viegas S. M. F & Penna, C. M. M. (2013). A Construção da Integralidade no Trabalho Cotidiano da Equipe Saúde da Família. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, 17(1), 133-141. Recuperado em 07 agosto, 2018, em http://www.redalyc.org/pdf/1277/127728366019.pdf.

Weirich, C.F., Munari, D. B., Mishima, S. M. & Bezerra, A. L. Q. O. (2009). Trabalho Gerencial do Enfermeiro na Rede Básica de Saúde. Texto Contexto Enfermagem, 18(2), 249-257. Recuperado em 20 março, 2018, de http://www.scielo.br/pdf/tce/v18n2/07

Publicado
2018-12-07
Como Citar
Mercês, J., Morais, B., & Oliveira, R. (2018). A IMPORTÂNCIA DO ENFERMEIRO ENQUANTO COORDENADOR NA EQUIPE DE ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA. Psicologia E Saúde Em Debate, 4(3), 72-83. https://doi.org/10.22289/2446-922X.V4N3A7
Seção
Estudo Teórico