ESTUDO DOS ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS DA SÍFILIS EM GESTANTES NO ESTADO DO TOCANTINS

  • Caio Willer Brito Gonçalves Universidade de Gurupi (UnirG)
  • Andreia Kássia Lemos de Brito Universidade de Gurupi (UnirG)
  • Adir Bernardes Pinto Neto Universidade de Gurupi (UnirG)
  • Gleiziane Sousa Lima Universidade de Gurupi (UnirG)
  • Dário Luigi Ferraz Gomes Universidade de Gurupi (UnirG)
  • Kelvin Hamim José Feitosa Reis Universidade de Gurupi (UnirG)
Palavras-chave: Cuidado do Pré-Natal, Saúde Pública, Atenção Primária a Saúde

Resumo

A sífilis é uma doença infecciosa sistêmica causada pela espiroqueta Treponema pallidum. Durante a gestação, se não tratada adequadamente, a sífilis resulta em mortes fetais e neonatais precoces. Esse estudo teve o objetivo de avaliar os aspectos epidemiológicos da incidência da sífilis gestacional no estado do Tocantins. Foi feito um estudo transversal, retrospectivo com a abordagem quantitativa e analítica por meio da consulta à base de dados do Sistema de Informação de Agravo de Notificação (SINAN) do Ministério da Saúde (MS) do período de janeiro de 2009 a dezembro de 2018. Foram diagnosticados 2182 casos de sífilis no período estudado, a faixa etária mais prevalente foi dos 20 a 29 anos de idade, totalizando 52,7% dos casos. Verificou-se maior prevalência entre gestantes com 5ª a 8ª série incompletos sendo 456 casos e com relação à classificação clínica, a maior prevalência foi a de sífilis primárias sendo 43,3% do total de casos. Os dados apresentados nesse estudo confirmam que a sífilis gestacional no estado do Tocantins ainda se encontra em ascensão, gerando assim questões relacionadas à assistência prestadas no cuidado do pré-natal.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andreia Kássia Lemos de Brito, Universidade de Gurupi (UnirG)

Graduação em Enfermagem pela Fundação UNIRG (2009). Especialização em Gestão em Saúde pela UFT (2013), especialização em Enfermagem em Nefrologia pelo CEEN-PUC/GO (2015), especialização em Gestão em Saúde Mental pela UCAM-Prominas (2019). Mestranda em Ciências da Saúde pela UFT (2019...).Atualmente é enfermeira no Hospital Regional Público de Gurupi no setor de Pronto Socorro Adulto e docente no Centro Universitário UNIRG.

Adir Bernardes Pinto Neto, Universidade de Gurupi (UnirG)

Graduando em medicina 

Gleiziane Sousa Lima, Universidade de Gurupi (UnirG)

Atualmente estuda Medicina no Centro Universitário Unirg e exerce a função de Diretora de Pesquisa da Liga Acadêmica de Gastroenterologia- LIGASTRO (2017) . Possui mestrado pelo Programa de Pós-Graduação em Farmacologia- Núcleo de Pesquisas em Plantas Medicinais/Universidade Federal do Piauí (2014). Especialização em Análises Clínicas pela Faculdade Internacional de Curitiba (2011) e Citologia Clinica pela UNINTER (2015). Graduação em Biomedicina pela Faculdade de Ciências Humanas e Tecnológicas do Piauí- NOVAFAPI (2009) e graduação em Direito pelo Instituto Camillo Filho (2016) . Experiência em laboratório de Análises Clinicas nos setores de hematologia, bioquímica, urinálise, citologia oncótica, parasitologia,imunologia e controle de qualidade e vivência em laboratório de pesquisa, com investigação de atividade farmacológica de produtos naturais com potencial antiulcerogênico e cicatrizante, com ênfase em Farmacologia do Sistema Digestivo.

Dário Luigi Ferraz Gomes, Universidade de Gurupi (UnirG)

Graduando em medicina 

Kelvin Hamim José Feitosa Reis, Universidade de Gurupi (UnirG)

Graduando em medicina

Referências

Brasil, B. (2018). Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde. Programam Nacional dst/aids boletim epidemiológico da sífilis - 2018 Boletins, v 49, n 45 . Retrieved 30 January, 2019. From Ministério da Saúde, 2018. Retrieved 30 January, 2019, from http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2018/boletim-epidemiologico-de-sifilis-2018

Brasil, B. (2006). Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Programa Nacional dst/aids protocolo para prevenção de transmissão vertical de hiv e sífilis. Retrieved 30 January, 2019. From http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/protocolo_prevencao_transmissao_verticalhivsifilis_manualbolso.pdf

Barbosa, drm, D.R.M.B. (2017). Perfil epidemiológico dos casos de sífilis gestacional. Rev Enferm Ufpe On Line, 5(11), 1867-1874.

Calvacante, pam, P.A.M.C. (2017). Sífilis gestacional e congênita em Palmas, Tocantins, 2007-2014. Epidemiol Serv Saúde, 26(2), .

Costa, cv, C.V.C. (2017). Sífilis congênita: repercussões e desafios. Arquivos Catarinenses de Medicina, 46(3), .

Domingues, rmsm, R.M.S.M.D & Leal, mc, M.C.L. (2016). Incidência de sífilis congênita e fatores associados à transmissão vertical da sífilis: dados do estudo Nascer no Brasil. Cad Saúde Pública,, 32(6), .

Lafetá, k r g, K.R.G.L. (2016). Sífilis materna e congênita, subnotificação e difícil controle. Revista Brasileira de Epidemiologia,, 19(1), .

Lima, vc, V.C.L. (2017). Perfil Epidemiológico dos casos de sífilis congênita em um município de médio porte no nordeste brasileiro. J Health Biol Sci, 5(1), 46-61.

Oliveira, ire, I.R.E.O. (2018). Perfil epidemiológico dos casos de sífilis em gestantes brasileiras entre 2016 E 2018. Revista Interdisciplinar em Saúde, 6(5), 1652-1668.

Saraceni, v, V.S. (2017). Vigilânicia epidemiológica da transmissão vertical da sífilis: dados de seis unidades federativas do Brasil. Rev Panam Salud Publica,, 41(8), .

Sociedade brasileira de pediatria, S.B.P. (2019). Guia Prático de Atualização, n 11, 2019. Retrieved 30 January, 2019, From https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/Adolescencia_-_21621c-GPA_-_Prevencao_Gravidez_Adolescencia.pdf

Publicado
2020-07-07
Como Citar
Brito Gonçalves, C. W., Lemos de Brito, A. K., Pinto Neto, A. B., Sousa Lima, G., Ferraz Gomes, D. L., & Feitosa Reis, K. H. J. (2020). ESTUDO DOS ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS DA SÍFILIS EM GESTANTES NO ESTADO DO TOCANTINS. Psicologia E Saúde Em Debate, 6(1), 111-118. https://doi.org/10.22289/2446-922X.V6N1A8
Seção
Artigo original