A Importância do Profissional Enfermeiro no Diagnóstico do Autismo: Uma Revisão Integrativa da Literatura

  • Marcelo Cerilo dos Santos Filho Universidade do Estado da Bahia; Centro Universitário do Rio São Francisco https://orcid.org/0000-0002-4221-2728
  • Lais Edvirgens Lima da Cruz Centro Universitário do Rio São Francisco
  • Bruna Stefany Rocha do Nascimento Centro Universitário do Rio São Francisco
  • Julyana Constância Feitoza Marinho Centro Universitário do Rio São Francisco
  • Andréa Kédima Diniz Cavalcanti Tenório Centro Universitário do Rio São Francisco
Palavras-chave: Transtorno do Espectro Autista, Papel do Profissional de Enfermagem, Saúde Mental

Resumo

O Transtorno Autista é um distúrbio do desenvolvimento neurológico que prejudica as interações sociais, nas modalidades de comunicação e comportamento. Por ser o profissional que possui o primeiro contato com a criança, o enfermeiro deve avaliar o desenvolvimento infantil, ressaltando os sinais que o Transtorno do Espectro Autista (TEA) apresenta. Diante do exposto, o presente estudo teve por objetivo apresentar a relevância do papel do enfermeiro no diagnóstico do autismo. Esta pesquisa trata-se de uma revisão integrativa da literatura, descritiva e com abordagem qualitativa de artigos publicados entre 2012 e 2019. Realizou-se uma busca nas bases de dados Lilacs, Scielo, Periodicos Capes e Google Acadêmico. A coleta de dados foi feita entre abril e outubro de 2019. Foram encontrados 908 artigos, porém apenas 8 responderam a problemática de pesquisa e se tornaram o número amostral. Identificou-se que a atenção do profissional de enfermagem não pode estar só direcionada para o autista, mas também para sua família; deve-se tentar diminuir o medo, o preconceito e o sentimento de inferioridade perante a sociedade. É papel do enfermeiro orientar os familiares a comunicar-se com a criança, para estimular a interação dela com as pessoas. Com isso, o enfermeiro é fundamental no processo diagnóstico do autismo, devendo se atentar aos sinais e sintomas do autismo, proporcionando uma boa assistência de enfermagem à criança e seus parentes, encorajando, transmitindo segurança e tranquilidade a todos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Barbosa, P. A. S., & Nunes, C. R. (2017). A relação entre o enfermeiro e a criança com transtorno do espectro do autismo. Revista Científica Interdisciplinar, [S.l], 2(2), 100-115. Recuperado de http://www.multiplosacessos.com/multaccess/index.php/multaccess/article/view/39.

Bortone, A. R. T., & Wingester, E. L. C. (2016). Identificação do espectro do transtorno autista durante o crescimento e o desenvolvimento infantil: o papel do profissional de enfermagem. Revital Digital FAPAM, Pará de Minas, 7(7), 131-148. Recuperado de https://periodicos.fapam.edu.br/index.php/synthesis/article/view/133.

Brasil. (2015). Ministério da Saúde. Linha de cuidado para a atenção integral às pessoas com transtorno do espectro do autismo e suas famílias no sistema único de saúde. Ministério da Saúde, Brasília. Recuperado de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/linha_cuidado_atencao_pessoas_transtorno.pd.

Cavalcante, A. S., Alves, N. A., & Almeida, A. B. S. (2016). A assistência do enfermeiro à pessoa portadora de autismo: uma revisão integrativa. Simpósio de TCC e Seminário de IC. 2ª edição p. 1780-1791. Recuperado de http://nippromove.hospedagemdesites.ws/anais_simposio/arquivos_up/documentos/artigos/afb8f6610160496bbd59be6f52910637.pdf.

Costa, E. L., Silva, J. P. C., Gonçalves, K. C. R., & Nascimento, N. E. O. S. (2014) Autismo infantil: assistência de enfermagem. Trabalho de Conclusão de Curso – Faculdade Padrão. Goiânia. Recuperado de https://docplayer.com.br/18196548-Faculdade-padrao-faculdade-de-enfermagem-autismo-infantil-assistencia-de-enfermagem.html.

Guedes, N. P. S., & Tada, I. N. C. A. (2015). A produção científica brasileira sobre autismo na psicologia e na educação. Psicologia: Teoria e Pesquisa, [S.l], 31(3), 303-309. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/ptp/v31n3/1806-3446-ptp-31-03-00303.pdf.

Maia, F. A., Almeida, M. T. C., Oliveira, L. M. M., Oliveira, S. L. N., Saeger, V. S. A., Oliveira, V. S. D., & Silveira, M. F. (2016). Importância do acolhimento de pais que tiveram diagnóstico do transtorno do espectro do autismo de um filho. Caderno de Saúde Coletiva, 24(2), 228-234. Recuperado de https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1414462X2016000200228&lng=en&nrm=iso&tlng=pt.

Melo, C. A., Farias, G. M., Oliveira, G. S., Silva, J. F., Negreiros, J. E. L., & Pinheiro, R. C. S. (2016). Identificação do papel do enfermeiro na assistência de enfermagem ao autismo. Mostra Interdisciplinar do curso de Enfermagem, [S.l.], 2(2). Recuperado de http://publicacoesacademicas.unicatolicaquixada.edu.br/index.php/mice/article/view/1154.

Oliveira, J. E. L. C., Gomes, A. L. P., Silva, S. G. D., Cabral, C. D. D., & Soares, A. (2018) Cuidados de enfermagem à criança portadora de transtorno do espectro autista: uma revisão integrativa. Congresso Brasileiro de Ciências da Saúde, Campina Grande. Recuperado de http://editorarealize.com.br/revistas/conbracis/trabalhos/TRABALHO_EV108_MD1_SA4_ID2010_21052018215251.pdf.

Pinto, R. N. M., Torquato, I. M. B., Collet, N., Reichert, A. P. S., Neto, V. L. S., & Saraiva, A. M. (2016). Autismo infantil: impacto do diagnóstico e repercussões nas relações familiares. Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre, 37(3). Recuperado de http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S198314472016000300413&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 21 set. 2020.

Sena, R. K. F., Reinalde, E. M., Silva, G. W. S., & Sobreira, M. V. S. (2015). Prática e conhecimento dos enfermeiros sobre o autismo infantil. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online, [S.l], 7(3), 707-2716. Recuperado de https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/bde-26872.

Silva, A. A., Fernandes, M. N. F., Costa, A. C. P. J., & Barros, L. M. (2016). O fazer do enfermeiro na assistência à criança autista: uma pesquisa–ação. Monográficos de Investigación em Salud. [S.l], 1(25). Recuperado de https://www.researchgate.net/publication/320410301_O_fazer_do_enfermeiro_na_assistencia_a_crianca_autista_uma_pesquisa-acao.

Publicado
2020-10-22
Como Citar
Cerilo dos Santos Filho, M., Edvirgens Lima da Cruz, L., Stefany Rocha do Nascimento, B., Constância Feitoza Marinho, J., & Kédima Diniz Cavalcanti Tenório, A. (2020). A Importância do Profissional Enfermeiro no Diagnóstico do Autismo: Uma Revisão Integrativa da Literatura. Psicologia E Saúde Em Debate, 6(2), 235-245. https://doi.org/10.22289/2446-922X.V6N2A15
Seção
Estudo Teórico