SINTOMAS DE BURNOUT EM ESTUDANTES DE EDUCAÇÃO FÍSICA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22289/2446-922X.V6N2A20

Palavras-chave:

Psicologia, Educação, Ensino, Estresse

Resumo

Este estudo transversal analisou os sintomas de burnout de 146 estudantes de educação física de uma instituição de ensino superior do Paraná, que responderam o Inventário da síndrome de burnout. A análise dos dados foi conduzida por meio dos testes de Kolmogorov-Smirnov, U de Mann-Whitney e Kruskal-Wallis (p<0,05). Os resultados evidenciaram que as mulheres apresentaram escores mais elevados nas dimensões de Ilusão (p=0,006) e Desgaste Psíquico (p=0,001). Os estudantes que não possuem companheiro (a) apresentaram maior escore na dimensão de Culpa (p=0,040). Os estudantes do 1° ano apresentaram maior escore na dimensão de Desgaste Psíquico (p=0,001) e Indolência (p=0,004). Concluiu-se que o sexo, estado civil e o ano do curso parecem ser fatores intervenientes nos sintomas de burnout de estudantes de educação física.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Antunes, M. L. D. & Moraes, E. H. (2018). Síndrome de burnout e nível de atividade física entre professores de Educação Física. Lecturas: Educación Física y deportes, 22(237), 2-8.

Borba, B. M. R., Diehl, L., Santos, A. S., Monteiro, J. K. & Marin, A. H. (2017). Síndrome de Burnout em professores: estudo comparativo entre o ensino público e privado. Psicologia Argumento, 33(80), 270-281.

Brasil. Ministério da Educação. Resolução CNE/CES (2009). Dispõe sobre carga horária mínima e procedimentos relativos à integralização e duração dos cursos de graduação em Biomedicina, Ciências Biológicas, Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Nutrição e Terapia Ocupacional, bacharelados, na modalidade presencial. Disponível em http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/rces004_09.pdf. Acesso em outubro de 2019.

Carlotto, M. S., Braun, A. C., Rodriguez, S. Y. S. & Diehl, L. (2014). Burnout em professores: diferença e análise de gênero. Contextos Clínicos, 7(1), 86-93

Carlotto, M. S. & Câmara, S. G. (2017). Riscos psicossociais associados à síndrome de burnout em professores universitários. Avances en Psicología Latinoamericana, 35(3), 447-457.

Chagas, M. K. S., Moreira Júnior, D. B., Cunha, G. N., Caixera, R. P. & Fonseca, E. F. (2016). Ocorrência da Síndrome de Burnout em acadêmicos de medicina de instituição de ensino no interior de Minas Gerais. Revista de Medicina e Saúde de Brasília, 5(2), 234-245.

Correia, M. M., Moreira, M. F. F. F., Cespe, A. S. S., Altoé, A. A. M. & Soares, R. J. O. (2019). Síndrome de burnout e ideação suicida entre estudantes de medicina: um estudo de revisão. Brazilian Journal of Health Review, 2(3), 2225-2227.

Cruz, A. D., Hatherly, J. M., Antunes, L. S., Camargo, G. A. C. G. & Aguiar, M. F. (2017). Condição de saúde oral e indicativos da síndrome de Burnout em estudantes de Odontologia sedentários e atletas. Revista da ABENO, 17(2), 97-106.

Evangelista, M. D. S., Silva, R. M., Kumura, C. A., Guido, L. A. & Costa, A. L. C. (2015).

Síndrome de Burnout em docentes universitários da área de saúde de uma faculdade privada do entorno do Distrito Federal. Revista de Divulgação Científica Sena Aires, 4(2), 78-85.

Ferreira, N. N. & Lucca, S. R. (2015). Síndrome de burnout em técnicos de enfermagem de um hospital público do Estado de São Paulo. Revista Brasileira de Epidemiologia, 18, 68-79.

Gil-Monte, P. R., CArlotto, M. S., & Câmara, S. G. (2010). Validação da versão brasileira do" Cuestionario para la Evaluación del Síndrome de Quemarse por el Trabajo" em professores. Revista de Saúde Pública, 44(1), 140-147.

Glória, M. E., Marinho, V. L., & Mota, D. S. (2016). Síndrome de Burnout t nos profissionais da área de saúde. Amazônia: science & health, 4(3), 29-37.

Leme, V. B. R., Chagas, A. P. S., Penna-de-Carvalho, A., Padilha, A. P., Alves, A. J. C. P, Rocha, C. S., França, F. A., Jesus, F. S. Q., Calabar, F. P., Mattos, L. P., Leopoldino, L. C., Fernandes, L. M., & Silveira, P. S. (2019). Habilidades sociais e prevenção do suicídio: Relato de experiência em contextos educativos. Estudos e Pesquisas em Psicologia, 19(1), 284-297.

Luz, L. M., Torres, R. R. B., Samento, K. M. V. Q., Sales, J. M. R., Farias, K. N. et al. (2017). Síndrome de Burnout em profissionais do serviço de atendimento móvel de urgência. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online, 9(1), 238-246.

Magri, L. V., Melchior, M. O., Jarina, L., Simonaggio, F. F., & Bataglion, C. (2016). Relationship between temporomandibular disorder symptoms signs and Burnout syndrome among dentistry students. Revista Dor, 17(3), 171-177.

Maslach, C. & Jackson, S. E. (1981) The measurement of experienced burnout. Journal of organizational behavior, 2(2), 99-113.

Menezes, P. C. M., Alves, E. S. R. C., Araújo Neto, S. A., Davim, R. M. B. & Guaré, R. O. (2017). Síndrome de burnout: avaliação de risco em professores de nível superior. Revista de enfermagem da UFPE, 11(11), 4351-4359.

Mota, I. D., Marinho, A. P. R., Both, J., Veiga, M. B. & Farias, G. O. (2019). Relação entre atividade física e Síndrome de Burnout em estudantes universitários: revisão sistemática. Pensar a Prática, 22.

Mota, I.D., Farias, G.O., Silva, R., & Folle, A. (2017). Síndrome de Burnout em estudantes universitários: um olhar sobre as investigações. Motrivência, 29;243-256.

Negreiros, C. B., Vieira, C. G., Mota, M. S., Oliveira, N. P. T., Gomes, S. C. A. & et al. (2018). Síndrome de burnout em estudantes da área da saúde. CIPEEX, 2, 914-919.

Oliveira, A. B., Penna, E. M. & Pires, D. A. (2018). Síndrome de burnout em árbitros de futebol. Revista de psicología del deporte, 27(4), 31-36.

Pereira, A. M. T. B. (2015). Elaboração e validação do ISB - inventário para avaliação da síndrome de burnout. Boletim de Psicologia, 65(142), 59-71.

Pinto, P. S., Nunes, F. M. R., Campos, D. S., Freitas, R. H. B., Bonan, P. R. F., & Batista, A. U. D. (2018). Síndrome de Burnout em estudantes de Odontologia, Medicina e Enfermagem: uma revisão da literatura. Revista Família, Ciclos de Vida e Saúde no Contexto Social, 6(2), 238-248.

Silva, F. A., Rodrigues, J. P., Silva, G. C. B. & Cortez, A. C. L. (2016). Muito trabalho, pouco dinheiro! Síndrome de Burnout em profissionais de educação física que atuam em academias e clubes. Biomotriz 10(2), 84-99.

Silva, D.A.S., Pereira, I.M.M., Almeida, M.B., Silva, R.J.S., & Oliveira, A.C.C. (2012). Estilo de vida de acadêmicos de educação física de uma universidade pública do estado de Sergipe, Brasil. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, 34(1), 53-67.

Tavares, K. F. A., Souza, N. V. D. O., Silva, L. D. & Kestenberg, C. C. F. (2014). Ocorrência da síndrome de Burnout em enfermeiros residentes. Acta Paulista de Enfermagem, 27(3), 260-265.

Vieira, A R., Ramos, A., Martins, D., Bucasio, E., Benevides-Pereira, A. M, Figueira, I., & Jardim, S. (2006). Burnout na clínica psiquiátrica: relato de um caso. Revista de Psiquiatria do Rio Grande do Sul, 28(3), 352-356.

Downloads

Publicado

2020-12-22

Como Citar

Oliveira, D. V. de ., Barbosa Anversa, A. L., Medina do Amaral, J., Pestillo de Oliveira, L., Morais Freire, G. L., de Souza Domingues, L., Almeida da Silva, L., Ramos Pereira, M. A. ., & Andrade do Nascimento Júnior, J. R. (2020). SINTOMAS DE BURNOUT EM ESTUDANTES DE EDUCAÇÃO FÍSICA. Psicologia E Saúde Em Debate, 6(2), 316–327. https://doi.org/10.22289/2446-922X.V6N2A20

Edição

Seção

Artigo original