O COTIDIANO DE PESSOAS COM TRANSTORNO ESPECTRO AUTISTA DE ALTA FUNCIONALIDADE: uma análise da Série Atypical

Autores

  • Nara Moreira Baldoino Faculdade Patos de Minas - FPM
  • Delza Ferreira Mendes Faculdade Patos de Minas - FPM

DOI:

https://doi.org/10.22289/2446-922X.V6N2A22

Palavras-chave:

TEA, Transtorno, Autismo, Funcionalidade, Emocional, Social

Resumo

O autismo é classificado como um transtorno global do desenvolvimento, caracterizado pelo crescimento acentuadamente atípico na interação social e na comunicação e pela presença de um repertório restrito de atividades e interesses pessoais (APA, 2013). Com base nisso foi realizado este ensaio-análise da série americana Atypical. O personagem principal da série, um jovem de 18 anos diagnosticado com Transtorno Espectro autista (TEA) passa por momentos de angústia, quando busca sua independência, possuindo uma mãe superprotetora, uma irmã mais velha que procura acolhe-lo, um pai com dificuldades em comunica-se  com ele e amigos que servem como motivação para seu desenvolvimento diário. Postula-se a ideia de que quando acontece uma doença ou deficiência num dos membros da família, ocorre um encadeamento de estádios emocionais e atitudinais aproximadamente constante e universal, sendo estes: choque, negação, depressão, adaptação e reorganização. Pode-se afirmar que a discussão do tema abordado é de total relevância para que haja maior inclusão de pacientes com TEA, pretendendo-se contribuir para o aumento de conhecimento da sociedade sobre os desafios enfrentados pelos pacientes autistas, seus familiares e amigos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Amiralian, M. L. T. M. (1978). Psicologia do Excepcional. v. 8. São Paulo: EPU.

Associação Brasileira de Psiquiatria. (2013). Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais. 5. ed. Arlington: Autor.

Delion, P. (2015). Autismo e parentalidade; Estilos clin., 20(1), 15-26.

Klüber-Ross, E. (1996). Sobre a morte e o morrer. São Paulo: Martins Fontes.

Leopoldino, C. B. (2015). Inclusão de autistas no mercado de trabalho: uma nova questão de pesquisa. Revista Eletrônica Gestão & Sociedade. 9 (22), 853-868.

Maia, F. A., Almeida, M. T. C., Alves, M. R., Bandeira, L. V. S. Silva, V. B., Nunes, N. F et al. (2018). Transtorno do espectro do autismo e idade dos genitores: estudo de caso-controle no Brasil. Caderno Saúde Pública, 34(8), e00109917.

Marques, M. H., & Dixe, M. A. R. (2011). Crianças e jovens autistas: impacto na dinâmica familiar e pessoal de seus pais. Archives of Clinical Psychiatry, 38(2), 66-70.

Souza, J. C., Fraga, L. L., Oliveira, M. R., Buchara, M. S., Straliotto N. C., Rosário, S. P. et al. (2004). Atuação do psicólogo frente aos transtornos globais do desenvolvimento infantil. Psicologia Ciência e Profissão, 24(2), 24-31.

Pereira, A. I. L., Fernandes, O. M., Relva, I. C., (2018). Sintomatologia psicopatológica e suporte social em pais de crianças portadoras de perturbação do espetro do autismo Aná. Psicológica, 36(3), 327-340.

Gomes, P. T. M., Lima, L. H. L., Bueno, M. K. G., Liubiana, A. Araújo, L. A., Souza, N. M., (2015). Autismo no Brasil, desafios familiares e estratégias de superação: revisão sistemática. J. Pediatr. (Rio J.) 91(2), 111-121.

Souza, J. C., Fraga, L. L., Oliveira, M. R., Buchara, M. S., Straliotto, N. C., Rosário, S. P., Rezende, T. M. (2004) Atuação do Psicólogo Frente aos Transtornos Globais do Desenvolvimento Infantil. Psicologia ciência e profissão, 24 (2), 24-31.

Downloads

Publicado

2020-12-22

Como Citar

Baldoino, N. M. ., & Ferreira Mendes, D. (2020). O COTIDIANO DE PESSOAS COM TRANSTORNO ESPECTRO AUTISTA DE ALTA FUNCIONALIDADE: uma análise da Série Atypical. Psicologia E Saúde Em Debate, 6(2), 338–345. https://doi.org/10.22289/2446-922X.V6N2A22

Edição

Seção

Estudo Teórico