MUTISMO SELETIVO: considerações teóricas e as contribuições da terapia cognitivo-comportamental

Autores

  • Matheus Elias Uninassau
  • Angela Ketlyn de Brito Souza Uninassau Campus Estação Velha
  • Luciene Costa Araújo Morais

DOI:

https://doi.org/10.22289/2446-922X.V6N2A29

Palavras-chave:

Mutismo Seletivo, Infância, Tratamento

Resumo

O Mutismo Seletivo é um transtorno que acomete crianças, caracterizado pela falta de comunicação oral em ambientes de exposição social, sendo principalmente identificado no início do período escolar. Trata-se de um artigo de revisão, com objetivo de analisar na literatura estudos sobre as contribuições da Terapia Cognitivo-Comportamental no trabalho com crianças diagnosticadas com Mutismo Seletivo, e a utilização de técnicas eficazes para o tratamento. A revisão da literatura ocorreu através da busca de artigos nas bases de dados: BVS-PSI, Google Acadêmico, PEPSIC e SCIELO. Ao longo desta pesquisa, foram utilizados os descritores e os operadores boleanos: “Mutismo Seletivo” AND “Infância” AND “Terapia Cognitivo-Comportamental” AND “Tratamento”. A partir da revisão foi realizada a leitura crítica dos artigos, sendo selecionados doze periódicos, no período entre 2014 e 2020, no qual os dados foram recolhidos e organizados através de fichamento, até serem analisados e incluídos em informações relevantes para temática. Os resultados encontrados demonstram que, o tratamento de crianças diagnosticadas com Mutismo Seletivo deve ser realizado de forma precoce, considerando os prejuízos sociais e de aprendizagem a ele relacionados. O modelo Cognitivo-Comportamental tem se mostrado eficaz e amparado por métodos e técnicas que auxiliam o tratamento do Mutismo Seletivo e outros transtornos de ansiedade da infância.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

American Psychiatric Association. (2014). Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais – 5ª edição (DSM-V). Porto Alegre: ArtMed.

Antoniutti, C. B. P., Lima, C. M., Heinen, M. & Oliveira, M. S. (2019). Protocolos psicoterapêuticos para tratamento de ansiedade e depressão na infância. Revista Brasileira de Terapias Cognitivas. 15(1), 10-18. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rbtc/v15n1/v15n1a04.pdf> Acesso em: 20 julho 2020.

Beck, J. S. (2013). Terapia cognitivo-comportamental: teoria e prática. (2ª Ed.) Porto Alegre: ArtMed.

Carvalho, M.R., Malagris, L. E. N. & Rangé, B. P. (2019). Psicoeducação em terapia cognitivo-comportamental. Novo Hamburgo: Sinopsys.

Clark, D. A. & Beck, A. T. (2014). Vencendo a ansiedade e a preocupação com a terapia cognitivo-comportamental: manual do paciente. Porto Alegre: Artmed.

D’ávila, L. I., Rocha F. C., Rios, B. R. M., Pereira, S. G. S. & Piris, A. P. (2020). Processo patológico do transtorno de ansiedade segundo a literatura digital disponível em português – Revisão Integrativa. Revista Psicologia e Saúde. 12(2), 155-168. Disponível em: <https://www.pssa.ucdb.br/pssa/article/view/922/1106> acesso em: 19 agosto 2020.

Dalgalarrondo, P. (2019). Psicopatologia e semiologia dos transtornos mentais. Porto Alegre: Artmed.

Falcone, E. M. O. (2011). Relação terapêutica como ingrediente ativo de mudança. In Rangé, B. (Org.). Psicoterapias cognitivo-comportamentais: um diálogo com a psiquiatria (2ª Ed.). pp. 145- 154. Porto Alegre: Artmed.

Friedberg, R. D., McClure, J. M., & Garcia, J. H. (2011). Técnicas de terapia cognitiva para crianças e adolescentes. Porto Alegre: Artmed.

Leahy, R. L. (2011). Livre de ansiedade. Porto Alegre: Artmed.

Linhares, M. B. M. & Martins, C. B. S. (2015). O processo da autorregulação no desenvolvimento de crianças. Estudos de Psicologia. 32(2), 281-293. Disponível em: <https://www.scielo.br/pdf/estpsi/v32n2/0103-166X-estpsi-32-02-00281.pdf> acesso em: 17 julho 2020.

Lucas, A. V. L., Dias, M. A. & Donizete, I. G. (2019). Mutismo seletivo: compreensão e estratégias de enfrentamento. 10º Seminário de Iniciação Científica | 1º Seminário de Pesquisa e Pós-Graduação Stricto Sensu. Disponivel em: <https://repositorio.pgsskroton.com.br/bitstream/123456789/24238/1/UNIAN%20-%20Adriana%20Vidotti%20Lopez%20Lucas.pdf> acesso em: 17 julho 2020.

Mello, C. D. (2016). Transtorno do mutismo seletivo: algumas considerações sobre a recusa da fala. Formação de Professores: Contextos, Sentidos e Práticas. Disponível em: <https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2017/23683_11709.pdf> acesso em: 15 julho 2020.

Melo, B. A.D. & Lima, A. C. R. (2020). A efetividade da terapia cognitivo-comportamental na redução da ansiedade infantil. Psicologia Saúde e Debate. 6(1), 213-226. Disponível em: <http://psicodebate.dpgpsifpm.com.br/index.php/periodico/article/view/V6N1A15/423> 24 julho 2020.

Peixoto, A. C. A., Caroli, A. L. G. & Mariama, S. R. (2017). Mutismo seletivo: estudo de caso com tratamento interdisciplinar. Revista Brasileira de Terapias Cognitivas. 13(1), 5-11. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rbtc/v13n1/v13n1a03.pdf> acesso em: 23 julho 2020.

Petersen, C. S., & Wainer, R. (2011). Terapias cognitivo-comportamentais para crianças e adolescentes. Porto Alegre: Artmed.

Pires, T. S. J., Palitot, M. D., Alves, G. A. S., Silva, H. M. L. & Éneas, E.L.S. (2017). Reflexões da mediação escolar para uma criança com mutismo seletivo. Revista Psicopedagogia. 34(104), 180-188. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/pdf/psicoped/v34n104/08.pdf> acesso em: 23 julho 2020.

Poisk, C. C., Poisk, E. A. C., Miotto, J. F. S. & Linartevich, V. F. (2019). Psicopatologias na infância e na adolescência. Fag Journal Of Health. 1(4), 91-99. Disponível em: <https://fjh.fag.edu.br/index.php/fjh/article/view/153/128> acesso em: 21 julho 2020.

Pureza, J.R., Ribeiro, A. O., Pureza, J.R. & Lisboa, C.S.M. (2014). Fundamentos e aplicações da terapia cognitivo-comportamental com crianças e adolescentes. Revista Brasileira de Psicoterapia. 16(1), 85-103. Disponível em: <https://cdn.publisher.gn1.link/rbp.celg.org.br/pdf/v16n1a08.pdf> acesso em 13 julho 2020.

Silveira, P. S., Silva, R. R., Caneta, C. N. & Ciccone, S. D. (2017). Desenvolvimento de uma relação facilitadora na comunicação com uma criança com características de mutismo seletivo. Psicologia.PT – O Portal Dos Psicólogos. Disponível em: <https://www.psicologia.pt/artigos/textos/TL0402.pdf> acesso em: 12 julho 2020.

Teixeira, J. N. & Alvarenga, P. (2016). Relações entre controle psicológico e comportamental materno e ansiedade infantil. Arquivos Brasileiros de Psicologia. 68 (3), 145-160. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/pdf/arbp/v68n3/11.pdf> acesso em: 12 julho 2020.

Downloads

Publicado

2020-12-22

Como Citar

Elias, M., Ketlyn de Brito Souza, A., & Costa Araújo Morais, L. (2020). MUTISMO SELETIVO: considerações teóricas e as contribuições da terapia cognitivo-comportamental. Psicologia E Saúde Em Debate, 6(2), 443–452. https://doi.org/10.22289/2446-922X.V6N2A29

Edição

Seção

Estudo Teórico