VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES E SUAS CONSEQUÊNCIAS PSICOLÓGICAS, COGNITIVAS E EMOCIONAIS: revisão integrativa de literatura

  • Emanuela Varela de Aguiar Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN
  • Caroline Araújo Lemos Ferreira Hospital Universitário Onofre Lopes
Palavras-chave: Violência Sexual, Abuso Sexual, Criança e Adolescente

Resumo

Esta pesquisa tem como tema a violência sexual contra crianças e adolescentes e seus impactos e suas consequências psicológicas, cognitivas e emocionais. É uma revisão integrativa de literatura de análise de produção científica brasileira e objetivou caracterizar o tema a partir de um levantamento desenvolvido nas bases de dados CAPES, LILACS e SciELO, de 2007 a 2017. A amostra de 11 artigos foi submetida a uma leitura aprofundada sobre as consequências da violência sexual. Na filtragem dos documentos utilizou-se os seguintes descritores “violência sexual” ou “abuso sexual” ou “criança e adolescente”. As informações encontradas foram agrupadas em três categorias: (a) Categorização temáticas dos artigos, (b) Alterações emocionais, comportamentais, cognitivas e sintomas físicos; (c) A revelação do abuso (d) Abuso sexual intrafamiliar: a convivência diária com o possível agressor/violentador. O modelo apresentado sintetiza os resultados dos estudos e representa um avanço no desenvolvimento teórico na área. Este modelo aumenta a visibilidade de questões conceituais sobre as consequências do abuso sexual sobre o desenvolvimento de crianças e adolescentes, podendo contribuir para o aprimoramento do conhecimento nessa área especifica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Batista, K. G., Corbelino, R.I.R., & Henrique, Y.D. (2014). Abuso e a violência sexual infanto-juvenil incestogênico e seus aspectos psicológicos. Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Psicologia) - Faculdade do Pantanal.

Balbinotti, C. (2008). A violência sexual infantil intrafamiliar: a revitimização da criança e do adolescente vítima do abuso. Temas em Psicologia, 35(1).

Boarati, M. C., Brisighello; S.M.B., & Arruda, S.L.S. (2009). Abuso Sexual na Infância: a vivência em um ambulatório de psicoterapia de crianças. Revista Brasileira Crescimento Desenvolvimento Humano, 19(3), 412-425.

Brasil. Ministério da Saúde. (2010). Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde. 3 ed. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil. Ministério da Saúde. (2010). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Linha de cuidado para a atenção integral à saúde de crianças, adolescentes e suas famílias em situação de violências: orientação para gestores e profissionais de saúde. Brasília: Ministério da Saúde.

Dell’Aglio, D.D., Teodoro, L.M., & Maycoln C.P. (2007). A percepção de família em vítimas de abuso sexual intrafamiliar: estudo de caso. Arquivos Brasileiros de Psicologia, 59(2).

Costa, L.F., & Penso, M.A. (2007). Família e abuso sexual: silêncio e sofrimento entre a denúncia e a intervenção terapêutica. Arquivos Brasileiros de Psicologia, 59(2).

Florentino, B.R., Bérgamo, A. (2015). As possíveis consequências do abuso sexual praticado contra crianças e adolescentes. Revista de Psicologia, 27(2), 139-144.

Habigzang, L.F., Corte, F. Dala; Hatzenberger, R.; Stroeher, F. & Koller, S.H. (2008). Avaliação Psicológica em Casos de Abuso Sexual na Infância e Adolescência. Psicologia: Reflexão e Crítica, 21(2), 338-344.

Huh, D. M. J., & Cavalini, S. F. S. (2011). Consequências do Abuso Sexual Infantil no Processo de Desenvolvimento da Criança: Contribuições da Teoria Psicanalítica. Universidade Presbiteriana Mackenzie

Roman, A.R., & Friedlander, M.R. (1999) Revisão Integrativa de Pesquisa Aplicada à Enfermagem. Cogitare Enfermagem, 3(2), 109-12.

Martins, C.B.G., & Jorge M.H.P.M. (2010). Abuso Sexual na Infância: A vivência em um ambulatório de psicoterapia de crianças. Texto Contexto Enferm, 19(2), 246-55

Martins, C.B.G & Jorge, M.H.P.M. (2010). Abuso Sexual na Infância e Adolescência: Perfil das Vítimas e Agressores no Sul do Brasil. Texto Contexto Enferm, 19 (2), 246-55;

Minayo, M.C.S. (2001). Violência contra crianças e adolescentes: questão social, questão de saúde. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, 1(1), 91- 102.

Melhem, P. M. & Rudy, H.R (2013). A coisificação da mulher e o reforço da negação da vitimização: retorno à lógica da honestidade? Ciências Criminais. 4 ed. São Paulo: PUC.

Neves, A.S., Castro, G.B. (2010). Abuso sexual contra a criança e o adolescente: reflexões interdisciplinares. Temas em Psicologia.

Santos, S.S., Dell’Aglio, D.D. (2010). Quando o silêncio é rompido: o processo de revelação e notificação de abuso sexual infantil. Psicologia & Sociedade, 22 (2), 328-335.

Souza, M.T., Silva, M.D., & Einstein, R.C; (2010). Revisão integrativa: o que é e como fazer? Einsten, 8(1), 102-6.

Tavares, M.G., Pizá & G.F.B. (2010). Criando a rede especializada de atendimento. A violência silenciosa do incesto. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo. p. 201-207.

Publicado
2020-09-15
Como Citar
Varela de Aguiar , E., & Araújo Lemos Ferreira, C. (2020). VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES E SUAS CONSEQUÊNCIAS PSICOLÓGICAS, COGNITIVAS E EMOCIONAIS: revisão integrativa de literatura. Psicologia E Saúde Em Debate, 6(2), 80-96. https://doi.org/10.22289/2446-922X.V6N2A6
Seção
Estudo Teórico