ABORDAGENS TEÓRICAS E O USO DA ANÁLISE DE CONTEÚDO COMO INSTRUMENTO METODOLÓGICO EM REPRESENTAÇÕES SOCIAIS

  • Adriana Manrique Tomé Universidad de Ciencias Empresariales y Sociales - UCES
  • Nilton Soares Formiga Universidade Potiguar - UNP
Palavras-chave: Abordagens em Representações Sociais, Cultura, Soecietal, Estrutural

Resumo

As representações sociais são compreendidas como as opiniões individuais construídas, reelaboradas e redimencionadas à um determinado objeto social, influenciado pela história de vida de cada um. Seu funcionamento se baseia nos saberes socialmente construídos e compartilhados, uma versão da realidade conforme a satisfação e justificativa das necessidades, interesses e valores do grupo que a produziu. Para a presente pesquisa, fez-se um estudo bibliográfico com materiais publicados por autores clássicos e contemporâneos a respeito das abordagens teóricas da Teoria das Representações Sociais e o uso da Análise de conteúdo como um instrumento que apoie as pesquisas nestas abordagens. As abordagens teóricas em Representações sociais são: Abordagem Cultural (Sociogenética), com Denise Jodelet, Abordagem Societal com Willen Doise, e Abordagem Estrutural, com Jean-Claude Abric.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Abric, J. C. (1994). Représentations sociales: aspects théoriques. In J.C. Abric (Org.). Pratiques sociales et representations. Paris: PUF, p. 11-36.

Abric, J. C. (2001). Prácticas sociales y representaciones. México: Coyoacán.

Abric, J.C. (2000). A abordagem estrutural das Representações Sociais. In: Moreira, A. S. P. & Oliveira, D.C. (org.). Estudos Interdisciplinares de representação social (2.ed.). Goiânia: AB, p. 27-37.

Almeida, A. M. O. (2009). Abordagem societal das representações sociais. Sociedade e Estado, Brasília, 24(3), 713-737. https://dx.doi.org/10.1590/S0102-69922009000300005

Alves-Mazzotti, A. J. A. (2002). A abordagem estrutural das representações sociais. Psicologia da Educação. São Paulo, 14/15, 17-37. Recuperado de https://revistas.pucsp.br/psicoeduca/article/view/31913

Alves-Mazzotti, A. J. (2008). Representações Sociais: aspectos teóricos e aplicações à educação. Revista Múltiplas Leituras, 1(1), p. 18-43, jan. / jun.

Bardin, L. (2009). Análise de Conteúdo. Edições 70. Lisboa: Portugal

Bertoni, L. M., & Galinkin, A. L. (2017). Teoria e métodos em representações sociais. In: Mororó, L. P., Couto, M. E. S., & Assis, R. A. M. (orgs). Notas teórico-metodológicas de pesquisas em educação: concepções e trajetórias [online]. Ilhéus, BA: EDITUS, p. 101-122.

Câmara, R. H. (2013). Análise de conteúdo: da teoria à prática em pesquisas sociais aplicadas às organizações gerais. Revista Interinstitucional de Psicologia, 6(2), 179-191. Recuperado em 25 de maio de 2020, de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-82202013000200003&lng=pt&tlng=pt.

Cavalcante, R. B., Calixto, P., & Pinheiro, M. M. K. (2014). Análise de Conteúdo: considerações gerais, relações com a pergunta de pesquisa, possibilidades e limitações do método. Informação & Sociedade: Estudos, João Pessoa, 24(1), 13-18. Recuperado em 25 de maio de 2020, de https://www.brapci.inf.br/index.php/res/v/92625

Clemence, A., Doise, W., & Lorenzi-Cioldi, F. (1994). Prises de position et principes organisateurs des représentations sociales. In: Guimelli, C. (Org.). Texte de base en sciences sociales. Structures et transformations des représentations sociales. Paris: Delachaux et Niestlé, p. 73-84

Doise, W. (1991). La doble dinámica social en el desarrollo cognitivo. Anthropos – Suplementos, n. 24, p. 12-19.

Doise, W. (2002). Direitos do homem e força das ideias. Lisboa: Horizonte.

Doise, W. (2011). Sistema e metassistema. In A. M. O Almeida, M. F. S Santos & Z. A. Trindade (Org.). Teoria das Representações Sociais: 50 anos. Brasília: Technopolitik, p. 123-156.

Flament, C., & Rouquette, M. L. (2003). Anatomie des idées ordinaires. Comment étudier les représentations sociales. Paris: Armand Colin.

Fonseca Junior, W. C. (2006). Análise de conteúdo. In: Duarte, J., Barros, A. (org.). Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação (2ª ed.). São Paulo: Atlas, p. 280-315.

Jodelet, D. (1989) (Ed.). Les représentations sociales. Paris: PUF, 1989.

Jodelet, D. (1990). Représentation sociale: phénomene, concept et théorie. In: Moscovici, S. (dir.). Psychologie sociale (2ª ed.). Paris: Presses Universitaires de France

Jodelet, D. (2001). Representações sociais: um domínio em expansão. In: Jodelet, D. (Org.). Representações sociais. Rio de Janeiro: Eduerj, p. 17-44.

Jodelet, D. (2003). Pensamiento social e historicidad. Relaciones, México, 24(93), 97-114. Recuperado em 25 de maio de 2020, de https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=13709305

Jodelet, D. (2005). Loucuras e representações sociais. Petrópolis, RJ: Vozes.

Jodelet, D. (2009). O movimento de retorno ao sujeito e a abordagem das representações sociais. Sociedade e Estado, [online], 24(3), 679-712. ISSN 0102-6992. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-69922009000300004.

Moliner, P. (1994). Les méthodes de répérage et d’identification du noyau des representations sociales. In C. Guimelli (Org.). Structures et transformations des representations sociales Lausanne: Delachaux et Niestlé, p. 199-232.

Moscovici, S. (1961/2003). A Psicanálise: sua imagem e seu público. Paris: PUF.

Moscovici, S. (1978). A Representação Social da Psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar.

Moscovici, S. (2003). O fenômeno das representações sociais. In S. Moscovici (Ed.), Representações sociais: investigações em psicologia social, Petrópolis: Vozes, p. 29-109.

Moscovici, S. (2007). Representações sociais: investigações em psicologia social (5ª ed.). Petrópolis, RJ: Vozes.

Parreira, P., Mónico, L., Oliveira, D., Cavaleiro, J., & Graveto, J. (2019). A Abordagem estrutural das Representações Sociais. In: Parreira, P., Sampaio, J.H., Mónico, L., Paiva, T., Alves, L. (Orgs.) Análise das Representações Sociais e do Impacto da Aquisição de Competências em Empreendedorismo nos Estudantes do Ensino Superior Politécnico. Portugal: Instituto Politécnico da Guarda.

Reis, S. L. A., & Bellini, M. (2011). Representações sociais: teoria, procedimentos metodológicos e educação ambiental. Acta Scientiarum. Human and Social Sciences, 33(2), 149-159. https://doi.org/10.4025/actascihumansoc.v33i2.10256

Rocha, D., & Deusdará, B. (2005). Análise de conteúdo e análise do discurso: aproximações e afastamentos na (re) construção de uma trajetória. Alea: Estudos Neolatinos, 7(2), 305-322. https://doi.org/10.1590/S1517-106X2005000200010

Sá, C. P. (1998). A construção do objeto de pesquisa em representações sociais. Rio de Janeiro: EdUERJ.

Sá, C. P. de. (1996). Núcleo central das representações sociais. Petrópolis: Vozes.

Santos, V. T., & Ichikawa, E. Y. (2018). Representações Sociais, história e memória: possíveis contribuições para os estudos organizacionais. Gestão & Sociedade, 12(31), 2213-2231. https://doi.org/10.21171/ges.v12i31.2261

Silva, A. H., & Fossá, M. I. T. (2013). Análise de Conteúdo: Exemplo de Aplicação da Técnica para Análise de Dados Qualitativos. IV Encontro de Ensino e Pesquisa em Administração e Contabilidae. Brasília/DF – 3 a 5 de novembro de 2013.

Silva, C. R., Gobbi, B. C., & Simão, A. A. (2005). O uso da Análise de Conteúdo como Ferramenta para a pesquisa qualitativa: descrição e aplicação do método. Organizações Rurais & Agroindustriais., Lavras, 7(1), 70-81.

Triani, F. S., Bizerra, C. C., & Novikoff, C. (2017). A influência da cultura sobre as representações sociais. Revista Educação e Cultura Contemporânea, 14(36), 7-21. Recuperado de http://periodicos.estacio.br/index.php/reeduc/article/viewArticle/1216

Wachelke, J. (2012). Context effects and inter-representation activation: an experimental study. Papers on Social Representations, 21, 8.1-8.28.

Wachelke, J. F. R., & Camargo, B. V. (2007). Representações Sociais, Representações Individuais e Comportamento. Revista Interamericana de Psicología/Interamerican Journal of Psychology, 41(3), 379-390. Recuperado em 25 de maio de 2020, de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-96902007000300013&lng=pt&tlng=pt.

Publicado
2020-09-15
Como Citar
Tomé, A. M., & Formiga, N. S. (2020). ABORDAGENS TEÓRICAS E O USO DA ANÁLISE DE CONTEÚDO COMO INSTRUMENTO METODOLÓGICO EM REPRESENTAÇÕES SOCIAIS. Psicologia E Saúde Em Debate, 6(2), 97-117. https://doi.org/10.22289/2446-922X.V6N2A7
Seção
Estudo Teórico