AMBIENTES SAUDAVEIS E MULHERES EM CENA: a diversidade feminina na contemporaneidade ante as relações de trabalho

Autores

  • Monaíza Brenda da Silva Melo
  • Ernane Junior da Silva Reis
  • Gilmar Antoniassi Junior
  • Glória Lúcia Alves Figueiredo

Palavras-chave:

Ambientes, Mulheres, Feminismo, Diversidade

Resumo

Introdução: O estudo tem como temática a diversidade feminina, o ser mulher nos diferentes ambientes da contemporaneidade. A escolha do tema se deu devido a uma série de mudanças socioeconômicas que as mulheres enfrentaram nos últimos tempos, e ainda não cessou devido a desigualdade salarial e em vários outros aspectos por ainda serem consideradas o sexo frágil. A questão norteadora do estudo refere-se a como as mulheres se sentem atuando nos diversos papeis em cena na sociedade? Ante as diversas situações vivenciadas no dia-a-dia pode-se destacar, o fato, de que ainda hoje há inúmeras ocasiões a qual a mulher torna-se o protagonista principal nos diferentes contextos de vida, através dos diversos papéis desempenhados na sociedade evidenciando uma fortaleza para atuar nos diferentes ambientes. Objetivo: objetivo primário do estudo, verificar nos diferentes papéis desempenhados por mulheres economicamente atuante no mercado de trabalho, como se sentem atuando em diferentes cenas do cotidiano da vida. Metodologia: Trata-se de um estudo de campo do tipo qualitativo transversal de natureza exploratória através do estudo coorte com grupo focal através do método psicodramático. A fase de tratamento dos dados será através de pessoas tempo em decodificar como esta mulher se sente nos diferentes papéis em cena nos diversos ambientes na condição de protagonista. O estudo será realizado com mulheres trabalhadoras da limpeza, de uma de uma unidade de ensino superior, privada, de uma cidade da região do Alto Paranaíba, estado de Minas Gerais, Brasil. Farão parte do estudo todas aquelas que se dispuserem a participar das oficinas propostas. Serão excluídas aquelas que não se dispuserem participar das oficinas, e/ou não se sentirem à vontade. A amostra será composta de modo intencional, por meio de convite direto as funcionárias a participarem das oficinas aos quais ocorrerá em dia, horário e local definidos, como forma estratégica para o envolvimento e adesão das participantes denominará as oficinas como Oficina de Artesanato. Como instrumentalização da pesquisa utilizará da História Oral e o Método Psicodramático. Primeiramente será realizada uma sensibilização junto as funcionárias da unidade. Logo o convite para a participação dos encontros; serão realizados 10 encontros de sessões psicodramáticas, seguindo a proposta da estrutura da composição do processo – aquecimento, dramatização e criação, compartilhamento e criação. Considerações: E importante salientar que no método psicodramático a liberdade de não haver um planejamento real sobre os processos temáticos dos encontros grupais, apenas, tomará como princípio de base a problemática do estudo. Uma vez que o estudo está em fase de desenvolvimento e análise dos dados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Glória Lúcia Alves Figueiredo

Introdução: O estudo tem como temática a diversidade feminina, o ser mulher nos diferentes ambientes da contemporaneidade. A escolha do tema se deu devido a uma série de mudanças socioeconômicas que as mulheres enfrentaram nos últimos tempos, e ainda não cessou devido a desigualdade salarial e em vários outros aspectos por ainda serem consideradas o sexo frágil. A questão norteadora do estudo refere-se a como as mulheres se sentem atuando nos diversos papeis em cena na sociedade? Ante as diversas situações vivenciadas no dia-a-dia pode-se destacar, o fato, de que ainda hoje há inúmeras ocasiões a qual a mulher torna-se o protagonista principal nos diferentes contextos de vida, através dos diversos papéis desempenhados na sociedade evidenciando uma fortaleza para atuar nos diferentes ambientes. Objetivo: objetivo primário do estudo, verificar nos diferentes papéis desempenhados por mulheres economicamente atuante no mercado de trabalho, como se sentem atuando em diferentes cenas do cotidiano da vida. Metodologia: Trata-se de um estudo de campo do tipo qualitativo transversal de natureza exploratória através do estudo coorte com grupo focal através do método psicodramático. A fase de tratamento dos dados será através de pessoas tempo em decodificar como esta mulher se sente nos diferentes papéis em cena nos diversos ambientes na condição de protagonista. O estudo será realizado com mulheres trabalhadoras da limpeza, de uma de uma unidade de ensino superior, privada, de uma cidade da região do Alto Paranaíba, estado de Minas Gerais, Brasil. Farão parte do estudo todas aquelas que se dispuserem a participar das oficinas propostas. Serão excluídas aquelas que não se dispuserem participar das oficinas, e/ou não se sentirem à vontade. A amostra será composta de modo intencional, por meio de convite direto as funcionárias a participarem das oficinas aos quais ocorrerá em dia, horário e local definidos, como forma estratégica para o envolvimento e adesão das participantes denominará as oficinas como Oficina de Artesanato. Como instrumentalização da pesquisa utilizará da História Oral e o Método Psicodramático. Primeiramente será realizada uma sensibilização junto as funcionárias da unidade. Logo o convite para a participação dos encontros; serão realizados 10 encontros de sessões psicodramáticas, seguindo a proposta da estrutura da composição do processo – aquecimento, dramatização e criação, compartilhamento e criação. Considerações: E importante salientar que no método psicodramático a liberdade de não haver um planejamento real sobre os processos temáticos dos encontros grupais, apenas, tomará como princípio de base a problemática do estudo. Uma vez que o estudo está em fase de desenvolvimento e análise dos dados.

Referências

-

Downloads

Publicado

2018-12-07

Como Citar

Melo, M. B. da S., Reis, E. J. da S., Junior, G. A., & Figueiredo, G. L. A. (2018). AMBIENTES SAUDAVEIS E MULHERES EM CENA: a diversidade feminina na contemporaneidade ante as relações de trabalho. Psicologia E Saúde Em Debate, 4(Suppl1), 3–3. Recuperado de https://psicodebate.dpgpsifpm.com.br/index.php/periodico/article/view/347

Edição

Seção

Anais