ANÁLISE DO PROGNÓSTICO DA LESÃO HERPÉTICA TRATADA COM GÁS OZÔNIO E POMADA DE PRÓPOLIS – Relato De Caso

Autores

  • Thaynná Alves Dias Teodoro
  • Leandro Pacheco Carvalho
  • Vaneide Aparecida da Silva
  • Lilian de Barros
  • Cláudia Maria de Oliveira Andrade
  • Lia Dietrich

Palavras-chave:

Herpes labial, ozônio, Própolis

Resumo

Introdução: A infecção causada pelo herpes vírus simples (HSV) está classificada como a segunda doença viral que mais acomete o ser humano, predominante na área orofacial sendo denominado de Herpes tipo 1 e o vírus vive em latência nos gânglios neurais até que seja estimulada a sua manifestação. Os sintomas típicos são prurido, ardência ou dor local onde apresentam múltiplas vesículas. Na literatura ainda não foi descoberta a cura para o herpes vírus labial, porém existem vários tratamentos previstos para o controle da doença.  Estudos mostram o potencial do ozônio no herpes labial. O ozônio pode ser associado com outros tratamentos. O gás ozônio com seu potencial de inativação viral, antimicrobiano, antifúngico, analgésico, anti-inflamatório e cicatrizador associado com a pomada de própolis que também com sua ação bactericida, anti-inflamatória, imune estimulante e regenerador tecidual aceleram o quadro dos sintomas e sinais do paciente e pode diminuir as recorrências da doença. Objetivo: Objetivou-se analisar a eficiência da associação do gás ozônio com a pomada de própolis na cicatrização do herpes labial e a possível utilização como alternativa de tratamento. Caso Clínico: Paciente de 54 anos, sexo masculino apresentou-se com infecção pelo herpes labial recorrente no final do seu período clínico ativo, utilizando pomada de própolis há um dia, já com formações iniciais de crostas, foi realizado o tratamento com insuflação do gás ozônio e orientado a utilizar a pomada de própolis diariamente no período noturno. Houve uma melhora dos sintomas e após 24 horas de tratamento houve uma evolução nos sinais clínicos, a cicatrização completou-se com quatro dias de associação do gás ozônio e pomada de própolis. Considerações: O paciente se encontra em proservação e será realizado o tratamento sempre que houver as recorrências herpéticas. O resultado foi bem satisfatório perante o protocolo utilizado, sanando todos os pontos desejados do paciente e dos pesquisadores. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

-

Downloads

Publicado

2018-12-11

Como Citar

Teodoro, T. A. D., Carvalho, L. P., Silva, V. A. da, Barros, L. de, Andrade, C. M. de O., & Dietrich, L. (2018). ANÁLISE DO PROGNÓSTICO DA LESÃO HERPÉTICA TRATADA COM GÁS OZÔNIO E POMADA DE PRÓPOLIS – Relato De Caso. Psicologia E Saúde Em Debate, 4(Suppl1), 45–45. Recuperado de https://psicodebate.dpgpsifpm.com.br/index.php/periodico/article/view/391

Edição

Seção

Anais