ANEMIA FALCIFORME: UMA PATOLOGIA COM GRANDE ABRANGÊNCIA E POUCA ORIENTAÇÃO

Autores

  • Heleonara Theodora Lopes Pereira
  • Aletheia Morais Rocha

Palavras-chave:

Equipe multidisciplinar, orientação, humanização do tratamento, eletroforese, teste do pezinho

Resumo

Introdução: A anemia falciforme é a doença mais comum entre as hemoglobinopatias no Brasil e no mundo, descrita pela primeira vez em 1910, sendo caracterizada pela presença de hemoglobinas anômalas S (ou HbS), que provoca falcização (formação de foice) das hemácias. Consiste em uma patologia crônica incurável, embora tratável, e que geralmente provoca alto grau de sofrimento aos seus portadores, que merecem atenção especial do ponto de vista médico, odontológico, genético e psicossocial, sendo necessário uma equipe multidisciplinar. Causadora de vários males como: hipóxia, tromboses, infartos, atrofia, fibrose dos órgãos, hemólise extra vascular e intravascular, atinge órgãos fundamentais como o por exemplo: fígado, medula óssea, ocasionando complicações de nível agudo e crônico.  Originaria da África, possuí maior incidência na raça negra, no Brasil a região nordeste tem uma maior concentração da doença, devido à forte migração que houve na região, no país, é comum encontrar pessoas brancas e pardas com a hemoglobinopatia, devido aos fatores históricos da miscigenação. Possui diagnóstico precoce, detectado no teste do pezinho ao nascer e na vida adulta com o exame de eletroforese. Tratamento paliativo e preventivo, com uso de fármacos e transfusão sanguínea. Objetivo: Devido à escassez de estudos sobre as consequências da anemia falciforme na vida do portador, o presente trabalho tem como objetivo apresentar uma revisão da literatura sobre os aspectos e impactos da anemia falciforme na saúde do indivíduo, podendo acarretar prejuízos na esfera da psicologia, da saúde física, saúde oral, etc. Desta forma, deve-se ter em mente que estes indivíduos têm direito a uma equipe multidisciplinar, preparada e bem orientada para que o atendimento e acolhimento do indivíduo seja satisfatório. Metodologia: Será utilizado um painel com informações literárias sobre o assunto, para tal foi realizada uma pesquisa nas bases de dados MEDLINE, SciELO, Lilacs e Pubmed. Considerações: Devido ao grande número de portadores de anemia falciforme no Brasil, é necessário ampliar as discussões sobre o assunto, principalmente entre os profissionais de saúde, de forma a proporcionar tratamento e acompanhamento dignos ao portador, visando melhor qualidade de vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

-

Downloads

Publicado

2018-12-11

Como Citar

Pereira, H. T. L., & Rocha, A. M. (2018). ANEMIA FALCIFORME: UMA PATOLOGIA COM GRANDE ABRANGÊNCIA E POUCA ORIENTAÇÃO. Psicologia E Saúde Em Debate, 4(Suppl1), 47–47. Recuperado de https://psicodebate.dpgpsifpm.com.br/index.php/periodico/article/view/393

Edição

Seção

Anais