COMPARAÇÃO ANATÔMICA DA ESCÁPULA DE Tapirus terrestres (ANTA BRASILEIRA) COM A ESCÁPULA DE EQUINOS

Autores

  • Ana Claudia Camilo de Melo
  • Cristiane Sandra da Silva
  • Marcone William Pereira
  • Tainara Vasconcelos
  • Darlan Daene Da Silva
  • Saulo Gonçalves Pereira

Palavras-chave:

Membro torácico, Tapir, Braço

Resumo

Introdução: A espécie Tapirus terrestris (Linneaus - 1758), também admitida como: “tapir”, “Anta-brasileira” ou simplesmente “anta” pertence à classe Mammalia, ordem Perissodactyla e a família Tapiridae. As antas se alimentam de frutos que são facilmente acessíveis, e geralmente permanecem em áreas que possuem alta concentração de recursos. Os equinos, família Equidae, constituem uma família de mamíferos perissodáctilos. Esta família abarca apenas o género Equus, onde se classificam o cavalo, burro, os asianos e a zebra. Tal família evoluiu ao longo de vários milhões de anos, desde animais campais de pequenas dimensões até ao cavalo moderno e seus contemporâneos do género Equus. Devido sua proximidade evolutiva faz-se necessárias comparações devido a importância de complementações acerca de da animais silvestres.  Objetivo: Objetivou-se fazer uma comparação entre a escápula de anta e escapula de cavalo, bem como fazer as suas descrições, com a finalidade de auxiliar no diagnóstico clínico e colaborar para descrições de animais silvestres. Material e Métodos: Foram utilizadas escápulas de anta e de cavalo já maceradas que fazem parte do acervo permanente da FPM, tais peças anatômicas foram doadas após óbito natural sem trauma por criatórios. A pesquisa está de acordo com a Instrução Normativa 01/2014 do IBAMA/ICMBio e autorizada pelo Comitê de Ética para Utilização de Animais da UFU (CEUA) sob o parecer 069/12. As peças foram fotografadas e descrias. Considerações: A escápula de T. terrestres  é um osso plano, ovalado e irregular, e articula-se distalmente com a cabeça do úmero, através da cavidade glenóide, sendo um conector. No equino (Equus caballus), a escápula é um osso triangular. Em T. terrestres apresenta duas faces (medial e lateral), duas margens (cranial e caudal) e dois ângulos (cranial, caudal). A escápula de ambas espécies tem a função de abrigar os músculos da área do membro torácico, dando-lhes origem. Esses músculos estão agrupados em torno dela. Percebe-se que, apesar de fazerem parte da mesma família, a escápula de anta difere-se consideravelmente da escápula do cavalo. Há presença da uma fossa subescapular e a escápula da anta é ovalada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

-

Downloads

Publicado

2018-12-12

Como Citar

Melo, A. C. C. de, Silva, C. S. da, Pereira, M. W., Vasconcelos, T., Silva, D. D. D., & Pereira, S. G. (2018). COMPARAÇÃO ANATÔMICA DA ESCÁPULA DE Tapirus terrestres (ANTA BRASILEIRA) COM A ESCÁPULA DE EQUINOS. Psicologia E Saúde Em Debate, 4(Suppl1), 58–58. Recuperado de https://psicodebate.dpgpsifpm.com.br/index.php/periodico/article/view/404

Edição

Seção

Anais