PERFIL DAS ENZIMAS FOSFATESE ALCALINA E ASPARTATO TRANSAMINASE EM Caiman crocodilos (JACARÉ-TINGA) DE VIDA LIVRE E A COMPARAÇÃO COM Caiman latirostris (JACARÉ-DO-PAPO-AMARELO)

Autores

  • Thales Henrique de Brito Gomes
  • Malcon Soares Graciano
  • Eva Mendes Monteiro
  • Bruno Tolentino Caixeta
  • Paulo Vinícius Rocha Pereira
  • Saulo Gonçalves Pereira

Palavras-chave:

Perfil enzimático, Jacaré, Bioquímica

Resumo

Introdução: Caiman crocodilos é conhecido popularmente como jacaré-tinga, pertence a sub-classe Archosauria Família Alligatoridae, subfamília Aligatorinae, e ao género de jacarés das Américas Central e do Sul que inclui três das espécies de animais conhecidos como jacarés. Inclui as espécies: Jacaré-tinga ou jacaré-de-óculos (Caiman crocodilus) Jacaré-de-papo-amarelo (Caiman latirostris). Tem o peso de 70 kg e pode chegar até 5 metros de comprimento. Objetivo: Objetivou-se mensurar as enzimas Fosfatese Alcalina (FAL) e Aspartato transaminase (AST/TGO) de Caiman crocodilos e comparar os resultados já publicados para Caiman latirostris (Jacaré-do-papo-amarelo). Material e Métodos: Foram colhidas amostras em 30 animais de vida livre pelo Laboratório de Ensino e Pesquisa em Animais Silvestres da UFU, na região do município de São Miguel do Araguaia – GO, Brasil. Ressalta-se tal pesquisa está autorizada pelo Comitê de Ética Para Utilização De Animais da UFU (parecer 153/2013), e tal parceria de colaboração foi celebrada entre a UFU e FPM está vigente. Foi a devida contenção dos animais de acordo com técnicas específicas e por profissionais habilitados e experientes. Posteriormente foi realizada a colheita sanguínea de 3ml por punção do seio venoso cervical com auxílio de seringas, transferidos para tubos sem anticoagulante, previamente identificados. O material obtido foi armazenado em caixas próprias e centrifugado a 5.000rpm durante 5 minutos, para obtenção do soro, o material foi armazenado em frasco plástico de fundo  cônico (Eppendorf®), identificado  e  novamente  resfriado  e  encaminhado  ao Laboratório de Análises Clínicas da Faculdade Cidade Patos de Minas, onde ocorreu o processamento  e  determinação  dos  valores enzimáticos através das análises séricas quantitativa dos indicadores. As análises foram processadas em analisador automático (Flexor XL). Considerações: Resultados em Caiman crocodilos: Fosfatese Alcalina (FAL): 20,36 UI/L (Desvio Padrão +- 4,7); Aspartato transaminase (AST/TGO): 115,6 UI/L (Desvio Padrão +- 21,2). Resultados para Caiman latirostris (segundo estudos anteriores): Fosfatese Alcalina (FAL): 30,70 UI/L (Desvio Padrão +- 8,76); Aspartato transaminase (AST/TGO): 135,00 UI/L (Desvio Padrão +- 22,5). De acordo com os resultados apresentados traçou-se o perfil das enzimas Fosfatese Alcalina (FAL) e Aspartato transaminase. De acordo com as comparações com Caiman latirostris não houve diferenças significativas para as enzimas pesquisadas para estas espécies.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

-

Downloads

Publicado

2018-12-12

Como Citar

Gomes, T. H. de B., Graciano, M. S., Monteiro, E. M., Caixeta, B. T., Pereira, P. V. R., & Pereira, S. G. (2018). PERFIL DAS ENZIMAS FOSFATESE ALCALINA E ASPARTATO TRANSAMINASE EM Caiman crocodilos (JACARÉ-TINGA) DE VIDA LIVRE E A COMPARAÇÃO COM Caiman latirostris (JACARÉ-DO-PAPO-AMARELO). Psicologia E Saúde Em Debate, 4(Suppl1), 90–90. Recuperado de https://psicodebate.dpgpsifpm.com.br/index.php/periodico/article/view/436

Edição

Seção

Anais