UTILIZAÇÃO DE INSTRUMENTOS PARA AVALIAÇÃO DE ESTRESSE EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM ESTUDOS BRASILEIROS: revisão integrativa

Autores

  • Luanara da Silva dos Santos Centro Universitário Leonardo da Vinci (UNIVINCI)
  • Yasmim Regiane Hesper Centro Universitário Leonardo da Vinci (UNIVINCI)
  • Jean Paulo da Silva Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC
  • Virginia Azevedo Reis Sachetti Centro Universitário Leonardo da Vinci (UNIVINCI)

DOI:

https://doi.org/10.22289/2446-922X.V7N1A21

Palavras-chave:

saúde mental, estresse psicológico, desenvolvimento humano

Resumo

Este estudo teve objetivo de identificar os instrumentos utilizados para avaliar estresse em crianças e/ou adolescentes em pesquisas na área da psicologia, publicadas no Brasil em idioma português, entre os anos 2009 e 2019. As buscas foram realizadas nas bases Scielo, Redalyc e BVS Brasil utilizando os termos stress AND criança OR adolescente. Após a seleção e triagem 16 artigos atenderam aos critérios de inclusão na amostra. Observou-se a predominância do uso da Escala de Stress Infantil (ESI) para avaliação em crianças, enquanto para avaliação em adolescentes os instrumentos foram variados. O contexto hospitalar e escolar foram os principais campos de utilização dos instrumentos, havendo também o esporte, atenção básica à saúde e política pública de assistência social. A avaliação do estresse em crianças e adolescentes é um desafio importante na prática profissional e a sistematização dos procedimentos avaliativos pode contribuir para processos de intervenção mais eficazes e responsáveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luanara da Silva dos Santos, Centro Universitário Leonardo da Vinci (UNIVINCI)

Psicóloga graduada pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci - UNIVINCI, possui especialização em Neuropsicologia, atua em psicoterapia e análise comportamental aplicada.

Yasmim Regiane Hesper, Centro Universitário Leonardo da Vinci (UNIVINCI)

Graduada em Psicologia pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci - UNIVINCI

Jean Paulo da Silva, Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

Doutorando do Programa de Pós-graduação em Psicologia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) na área de Psicologia Social e Cultura, linha de pesquisa em Representações e Práticas sociais. Mestre em Psicologia pela mesma instituição na área de Processos Psicossociais, Saúde e Desenvolvimento Psicológico. Graduado em Psicologia pela Faculdade Metropolitana de Guaramirim (FAMEG). Professor do curso de Psicologia da UNIVINCI.

Virginia Azevedo Reis Sachetti, Centro Universitário Leonardo da Vinci (UNIVINCI)

Psicóloga, Mestre e Doutora em Psicologia. Tem experiência em docência e pesquisa em psicologia educacional. Atua principalmente na área de desenvolvimento infantil com ênfase em estratégias de enfrentamento de estresse em situações de risco. Atualmente é professora-supervisora de estágio e coordenadora do Curso de Psicologia no Centro Universitário Leonardo da Vinci - UNIVINCI

Referências

Abreu, D. P., Viñas, F., Casas, F., Montserrat, C., González-Carrasco, M., & Alcantara, S. C. (2016). Estressores psicossociais, senso de comunidade e bem-estar subjetivo em crianças e adolescentes de zonas urbanas e rurais do Nordeste do Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 32(9), 1-12. doi.org/10.1590/0102-311X00126815

Amaral, V. A. A. S., Nunes, M. M., Honjo, R. S., Dutra, R. L., Assumpção Jr, F. B., & Kim, C. A. (2013). Estresse em crianças e adolescentes com Síndrome de Williams-Beuren em idade escolar. Psicologia Escolar e Educacional, 17(1), 105-112. doi.org/10.1590/S1413-85572013000100011

Azevêdo, A. V. S., Schmidt, B., & Crepaldi, M. A. (2019). Avaliação psicológica de crianças hospitalizadas. In C. S. Hutz, D. R. Bandeira, C. M. Trentini, & E. Remor. (Orgs.). Avaliação psicológica nos contextos de saúde e hospitalar. Artmed: Porto Alegre.

Bachion, M. M, Peres, A. S., Belisário, V. L., & Carvalho, E. C. (1998). Estresse, ansiedade e coping: uma revisão dos conceitos, medidas e estratégias de intervenção voltadas para a prática de enfermagem. Revista Mineira de Enfermagem, 2(1), 33-39. Retrieved from: https://cdn.publisher.gn1.link/reme.org.br/pdf/v2n1a07.pdf

Baes, C. V. W., Martins, C. M. S., & Juruena, M. F. (2020). In M. E. N. Lipp (Org.). Diagnóstico e tratamento do stress nos transtornos afetivos na infância e na adolescência. Campinas: Papirus. [e-book]

Barros, L. (2003). Psicologia pediátrica: perspectiva desenvolvimentista. 2. ed. Lisboa: Climepsi.

Bolsoni, L. M., & Zuardi, A. W. (2015). Estudos psicométricos de instrumentos breves de rastreio para múltiplos transtornos mentais. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, 64(1), 63-69. doi.org/10.1590/0047-2085000000058

Bonilha, A. G., Ruffino-Netto, A., Sicchieri, M. P., Achcar, J. A., Rodrigues-Júnior, A. L., & Baddini-Martinez, J. (2014). Correlatos de experimentação e consumo atual de cigarros entre adolescentes. Jornal Brasileiro de Pneumologia, 40(6), 634-642. doi.org/10.1590/S1806-371320140006000

Borges, J. L., & Dell’Agllio, D. D. (2008). Relações entre abuso sexual na infância, transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) e prejuízos cognitivos. Psicologia em Estudo 13(2), 371-379. doi.org/10.1590/S1413-73722008000200020

Broering, C. V., & Crepaldi, M. A. (2011). Preparação psicológica e o estresse de crianças submetidas a cirurgias. Psicologia em Estudo, 16(1), 15-23. doi.org/10.1590/S1413-73722011000100003

Camargo, V. C. V., Calais, S. L., & Sartori, M. M. P. (2015). Estresse, depressão e percepção de suporte familiar em estudantes de educação profissionalizante. Estudos de Psicologia, 32(4), 595-604. doi.org/10.1590/0103-166X2015000400003

Caputo, E. L., Rombaldi, A. J., & Silva, M. C. (2017). Sintomas de estresse pré-competitivo em atletas adolescentes de handebol. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, 39(1), 68-72. doi.org/10.1016/j.rbce.2016.01.006

Carnier, L. E., Padovani, F. H. P., Perosa, G. B., & Rodrigues, O. M. P. R. (2015). Estratégias de enfrentamento em crianças em situação pré-cirúrgica: relação com idade, sexo, experiência com cirurgia e estresse. Estudos de Psicologia (Campinas), 32(2), 319-330. doi.org/10.1590/0103-166X2015000200015

Carvalho, L. F., & Rueda, F. J. M. (2016). Tipos e estratégias de avaliação. In: C. Gorestein, Y. Wang, & I. Hungerbuhler. Instrumentos de avaliação em saúde mental. Porto Alegre: Artmed.

Correia, D. S., Santos, L. V. A., Calheiros, A. M. N., & Vieira, M. J. (2011). Adolescentes grávidas: sinais, sintomas, intercorrências e presença de estresse. Revista Gaúcha de Enfermagem, 32(1), 40-47. doi.org/10.1590/S1983-14472011000100005

Cruz, D. S. M., Costa, S. F. G., & Nóbrega, M. M. L. (2006). Assistência humanizada à criança hospitalizada. Revista RENE, 7(3), 98-104. Retrieved from: http://www.periodicos.ufc.br/rene/article/view/5447

Demathé, T. M. & Cordeiro, M.H.B.V. (2009). Representações sociais sobre infância: um estudo com pais e educadoras de educação infantil. Nuances: Estudos sobre Educação, 16(17), 119-133. doi.org/10.14572/nuances.v16i17.324

Dias, J. C. R., Silva, W. R., Maroco, J., & Campos, J. A. D. B (2015). Escala de Estresse Percebido aplicada a estudantes universitárias: estudo de validação. Psychology, Community & Health, 4(1), 1-13. doi:10.5964/pch.v4i1.90

Faria, R., Weber, L. D., & Ton, C. (2012). O estresse entre vestibulandos e suas relações com a família e a escolha profissional. Psicologia Argumento, 30(68), 43-52. doi:http://dx.doi.org/10.7213/psicol.argum.5883

Folkman, S., & Lazarus, R. S. (1980). An Analysis of coping in a middle-age community sample. Journal of Health and Social Behavior, 21(3), 219-239. doi.org/10.2307/2136617

Galvão, A., Pinheiro, M., Gomes, M. J., & Ala, S. (2017). Ansiedade, stress e depressão relacionados com perturbações do sono-vigília e consumo de álcool em alunos do ensino superior. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental, (spe5), 8-12. http://dx.doi.org/10.19131/rpesm.0160

Gomes, G. C., Passos, M. H. P., Silva, H. A., Oliveira, V. M. A., Novaes, W. A., Pitangui, A. C. R., & Araújo, R. C. (2017). Qualidade de sono e sua associação com sintomas psicológicos em atletas adolescentes. Revista Paulista de Pediatria, 35(3), 316-321. doi.org/10.1590/1984-0462/;2017;35;3;00009

Gonzaga, L. R. V. (2016). Enfrentando provas escolares: relações com problemas de comportamento e rendimento acadêmico no ensino médio. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica, Campinas.

Gonzaga, L. R. V., & Lipp, M. E. N.(2014). Relação entre escolha profissional, vocação e nível de estresse em estudantes do ensino médio. Psicologia Argumento, 32(78), 149-156. http://dx.doi.org/10.7213/psicol.argum.32.078.AO10

Habigzang, L. F., Stroeher, F. H., Hatzenberger, R., Cunha, R. C., Ramos, M. S., & Koller, S. H. (2009). Grupoterapia cognitivo-comportamental para crianças e adolescentes vítimas de abuso sexual. Revista de Saúde Pública, 43(Suppl. 1), 70-78. doi.org/10.1590/S0034-89102009000800011

Júnior, J. R. A. N., et al. (2018). Estresse pré-competitivo e experiência esportiva em adolescentes de Petrolina-PE. Psicologia Revista São Paulo, 27(esp), 615-631. https://doi.org/10.23925/2594-3871.2018v27i3p615-631

Justo, A. P., & Lipp, M. E. N. (2010). A influência do estilo parental no stress do adolescente. Boletim Academia Paulista de Psicologia, 30(79),363-378. Retrieved from: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=946/94615412010

Kohlsdorf, M., Coutinho, S. M. G., & Arrais, A. R. (2019). Avaliação psicológica de cuidadores pediátricos: caracterização, desafios e proposta de roteiro avaliativo. In C. S. Hutz, D. R. Bandeira, C. M. Trentini, & E. Remor. (Orgs.). Avaliação psicológica nos contextos de saúde e hospitalar. Artmed: Porto Alegre.

Kristensen, C. H., Leon, J. S., D’Incao, D. B., & Dell’Aglio, D. D. (2004). Análise da frequência e do impacto de eventos estressores em uma amostra de adolescentes. Interação em Psicologia, 8(1), 45-55. http://dx.doi.org/10.5380/psi.v8i1.3238

Kristensen, C. H., Schaefer, L. S., & Busnello, F. B. (2010). Estratégias de coping e sintomas de stress na adolescência. Estudos de Psicologia (Campinas), 27(1), 21-30. doi.org/10.1590/S0103-166X2010000100003

Lipp, M. E. N. (2020). O diagnóstico do stress em crianças. In M. E. N. Lipp (Org.). Stress em crianças e adolescentes. Campinas: Papirus. [e-book]

Lipp, M.E.N., Arantes, J. P., Buriti, M. S., & Witzig, T. (2002). Estresse em escolares, Psicologia Escolar e Educacional, 6(1), 51-56. doi.org/10.1590/S1413-85572002000100006

Lucarelli, M.D.M., & Lipp, M.E.N. (1999). Validação do Inventário de sintomas de stress infantil - ISS-I. Psicologia: Reflexão e Crítica, 12(1), 71-88. https://dx.doi.org/10.1590/S0102-79721999000100005

Lucarelli, M. D.M. (2004). O diagnóstico do stress infantil. In M. E. N. Lipp (Org.). Crianças estressadas: causas, sintomas e soluções. 4. ed. Campinas: Papirus.

Maia, J. M. D., & Williams, L. C. A. (2005). Fatores de risco e fatores de proteção ao desenvolvimento infantil. Temas em Psicologia, 13(2), 91-103. Retrieved from: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-389X2005000200002

Moskovics, J. M., & Machado, P. F. (2019). Avaliação em saúde mental na atenção básica. In C. S. Hutz, D. R. Bandeira, C. M. Trentini, & E. Remor. (Orgs.). Avaliação psicológica nos contextos de saúde e hospitalar. Artmed: Porto Alegre.

Mendes, C. A., Krokosz, S. & Correia, L. L. (2012). Avaliação de indicadores emocionais de estresse em crianças internadas na enfermaria pediátrica de um Hospital Universitário. Retrieved from: http://eventos.ufgd.edu.br/enepex/anais/arquivos/64.pdf

Mendes, M. A., Sant'Anna, C. C., & March, M. F. B. P. (2013). O estresse em crianças e adolescentes com asma. Journal of Human Growth and Development, 23(1), 80-86. Retrieved from: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12822013000100012&lng=pt&tlng=pt.

Mombelli, M. A., Costa, J. B., Marcon, S. S., & Moura, C. B. (2011). Estrutura e suporte familiar como fatores de risco de stress infantil. Estudos de Psicologia, 28(3),327-335. doi.org/10.1590/S0103-166X2011000300004

Noronha, A. P. P., & Reppold, C. T. (2010). Considerações sobre a avaliação psicológica no Brasil. Psicologia: Ciência e Profissão, 30(esp.), 192-201. doi.org/10.1590/S1414-98932010000500009

Noronha, A. P. P., & Vendramini, C. M. M. (2003). Parâmetros psicométricos: estudo comparativo entre testes de inteligência e de personalidade. Psicologia: reflexão e crítica, 16(1), 177-182. doi.org/10.1590/S0102-79722003000100018

Oliveira, P. A.; Scivoletto, S., & Cunha, P. J. (2010). Estudos neuropsicológicos e de neuroimagem associados ao estresse emocional na infância e adolescência. Arqhives of Clinical Psychiatric (São Paulo), 37(6), 271-279. doi.org/10.1590/S0101-60832010000600004

Pacanaro, S. V., & Santos, A. A. A. (2007). Avaliação do estresse no contexto educacional: análise de produção de artigos científicos. Avaliação Psicológica, 6(2), 253-260. Retrieved from: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-04712007000200014

Patias, N. D., Machado, W.D.L, Bandeira, D. R., & Dell’Aglio, D. D. (2016). Depression Anxiety and Stress Scale (DASS-21) – Short Form: Adaptação e Validação para adolescentes brasileiros. Psico USF, 21(3), 459-469. https://doi.org/10.1590/1413-82712016210302

Ramos, F. P., Enumo, S. R. F., & Paula, K. M. P. (2015). Teoria motivacional do coping: uma proposta desenvolvimentista de análise do enfrentamento do estresse. Estudos de Psicologia, 32(2), 269-279. doi.org/10.1590/0103-166X2015000200011

Pierozan, G. C., Paza, D. L. S., Kuczynski, K. M., & Stefanello, J. M. F. (2017). Instrumentos para avaliação do estresse em atletas: uma revisão sistemática. Revista Brasileira de Psicologia do Esporte, 7(1). Retrieved from: https://www.google.com/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=&ved=2ahUKEwiIt5fjovvsAhUpn-AKHboyAw0QFjACegQIBhAC&url=https%3A%2F%2Fportalrevistas.ucb.br

%2Findex.php%2FRBPE%2Farticle%2Fdownload%2F7273%2F5438&usg=AOvVaw16HSyodzi1h7x36yXGGUk0

Reppold, C. T., & Hutz, C. S. (2008). Investigação psicodiagnóstica de adolescentes: encaminhamentos, queixas e instrumentos utilizados em clínicas-escolas. Avaliação Psicológica, 7(1), 85-91. Retrieved from: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-04712008000100011

Rossetti, M. O., Ehlers, D. M., Guntert, I. B., Leme, I. F. A. S., Rabelo, I. S., Tosi, S. M. V. D., Pacanaro, S. V., Barrionuevo, V. L. (2008). O inventário de sintomas de stress para adultos de lipp (ISSL) em servidores da polícia federal de São Paulo. Revista Brasileira de Terapias Cognitivas, 4(2), 108-120. Retrieved from: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1808-56872008000200008

Sapienza, G. Pedromônico, M. R. M. (2005). Risco, proteção e resiliência no desenvolvimento da criança e do adolescente. Psicologia e Estudo, 10(2), 209-216. doi.org/10.1590/S1413-73722005000200007

Schermann, L. B., Béria, J. U., Jacob, M. H. V. M., Arossi, G., Benchaya, M. C., Bisch, N. K., Rieth, S. (2014). Estresse em adolescentes: estudo com escolares de uma cidade do sul do Brasil. Aletheia, 43(44), 160-173. Retrieved from: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-03942014000100012

Silva, I. C. P., Cunha, K. C., Ramos, E. M. L. S., Pontes, F. A. R., & Silva, S. S. C. (2019). Estresse parental em famílias pobres. Psicologia em Estudo, 24, 1-17. doi: 10.4025/1807-0329e40285

Silva, A. M. B., Enumo, S. R. F., & Afonso, R. M. (2016). Estresse em atletas adolescentes: uma revisão sistemática. Revista de Psicologia da IMED, 8(1), 59-75. doi:10.18256/2175-5027/psico-imed.v8n1p59-75

Silva, A. M. B., Foch, G. F. L., Guimarães, C. A., & Enumo, S. R. F. (2014). Instrumentos aplicados em estudos brasileiros em Psicologia do Esporte. Estudos Interdisciplinares em Psicologia, 5(2), 77-95. doi:10.5433/2236-6407.2014v5n2p77

Silva, H. A., Passos, M. H. P., Oliveira, V. M. A., Palmeira, A. C., Pitangui, A. C. R., & Araújo, R. C. (2016). Versão reduzida da Depression Anxiety Stress Scale-21: ela é válida para a população brasileira adolescente?. Einstein, 14(4), 486-493. Retrieved from: https://www.scielo.br/pdf/eins/v14n4/pt_1679-4508-eins-14-04-0486.pdf

Silvares, E. F. M. (Org.). (2008). Estudos de caso em psicologia clínica comportamental infantil. Campinas: Papirus Editora.

Silveira, K. A., Lima, V. L., & Paula, K. M. P. (2018). Estresse, dor e enfrentamento em crianças hospitalizadas: análise de relações com o estresse do familiar. Revista SBPH, 21(2), 5-21. Retrieved from: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-08582018000200002&lng=pt&nrm=iso

Skinner, E. A., & Zimmer-Gembeck, M. J. (2016). The development of coping: stress, neurophysiology, social relationships, and resilience during childhood and adolescence. New York: Springer.

Souza, R. G., Santana, E. B., Pedra, R., Dias, D., & Dantas, E. H. M. (2015). A relevância dos instrumentos de avaliação de ansiedade, estresse e depressão. Ciências Biológicas e de Saúde, 3(1), 37-57. Retrieved from: https://core.ac.uk/reader/230424650

Souza, M. T., Silva, M. D., & Carvalho, R. (2010). Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein (São Paulo), 8(1), 102-106. https://doi.org/10.1590/s1679-45082010rw1134

Souza, W. S., & Costa, P. G. (2015). Análise do estresse psíquico em atletas de futebol sub-17 no período pré-competitivo. Revista Brasileira de Futebol, 8(1), 62-75. Retrieved from: https://www.rbf.ufv.br/index.php/RBFutebol/article/view/191/156

Stacciarini, J. M. R., & Tróccoli, B. T. (2001). O estresse na atividade ocupacional do enfermeiro. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 9(2), 17-25. doi.org/10.1590/S0104-11692001000200003

Straub, R. O. (2014). Psicologia da Saúde: uma abordagem biopsicossocial. Porto Alegre: Artmed.

Tabaquim, M. L. M., Bosshard, C. A. G., Prudenciatti, S. M., & Niquerito, A. V. (2015). Vulnerabilidade ao stress em escolares do ensino técnico de nível médio. Boletim - Academia Paulista de Psicologia, 35(88), 197-213. Retrieved from: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-711X2015000100013&lng=pt&tlng=pt

Teixeira, C. A. B., Crepaldi, E. T. S., Gherardi-Donato, E. C. S., Reisdorfer, E., Carvalho, A. M. P., & Santos, P. L. (2015). Testes psicológicos utilizados para avaliar estresse na criança: uma revisão integrativa. Arquivos de Ciências da Saúde da UNIPAR, 19(1), 53-58. https://doi.org/10.25110/arqsaude.v19i1.2015.5265

Tricoli, V. A. C. (2020). Diagnóstico do stress na adolescência. In M. E. N. Lipp (Org.). Stress em crianças e adolescentes. Campinas: Papirus. [e-book]

Downloads

Publicado

2021-06-08

Como Citar

dos Santos, L. da S., Hesper, Y. R., da Silva, J. P., & Sachetti, V. A. R. (2021). UTILIZAÇÃO DE INSTRUMENTOS PARA AVALIAÇÃO DE ESTRESSE EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM ESTUDOS BRASILEIROS: revisão integrativa. Psicologia E Saúde Em Debate, 7(1), 293–314. https://doi.org/10.22289/2446-922X.V7N1A21

Edição

Seção

Artigo original