LUTO: colaboração da psicanálise na elaboração da perda

  • Leticia Gomes Azevedo Soares FPM
  • Marcelo Matta de Castro
Palavras-chave: morte, perda, sofrimento

Resumo

O objetivo desse artigo é explicar o processo do luto, através de uma revisão da literatura onde a psicanálise e outros estudos que tenham como foco os mesmos princípios que ela acredita expõem de que maneira ela pode colaborar para a elaboração do luto gerado pela perda e como saber diferenciar o luto saudável de patologias confundidas com ele. De acordo com os estudos encontrados, considera-se perda tudo aquilo que tem um valor emocional paro o sujeito. Isso envolve um amplo campo, objetos, status, entes queridos, situação civil, amigos, propriedades. Falar de perda e luto sem falar da morte, é quase impossível, pois ambas, se tratam de questões que fogem ao controle humano. O indivíduo não pode simplesmente decidir não passar por esses três fenômenos, são verdades universais que em algum momento terá que enfrentar. A morte varia de acordo com a forma como é entendida, ela pode ser vista como o fim de algo, seja de um sentimento, ou de uma vontade, o que também a coloca no campo das perdas. O luto em ambos os casos, é a reação do sujeito perante a perda. Observou-se que apesar de ser um tema bastante discutido, possuem poucos estudos recentes voltados para esse assunto.

Publicado
2017-12-15
Como Citar
Azevedo Soares, L., & Castro, M. (2017). LUTO: colaboração da psicanálise na elaboração da perda. Psicologia E Saúde Em Debate, 3(2), 103-114. https://doi.org/10.22289/V3N2A9
Seção
Estudo Teórico