A ESTRATÉGIA DO TRATAMENDO AS DROGAS ATRAVÉS DA REDUÇÃO DE DANOS: uma reflexão acerca do documentário ‘Crack, repensar’

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Júnia Galvão Amaral Gilmar Antoniassi Junior Juliana Amorim Pacheco de Oliveira

Resumo

O objetivo deste estudo foi de refletir a estratégia de tratamento ao uso das drogas sob a perspectiva da redução de danos, através da observação do documentário ‘Crack, repensar’. Como método de pesquisa utilizou-se o delineamento qualitativo de estudo de caso de natureza bibliográfica através do método de história oral, mediante os dados narrados no documentário. As reflexões acerca das observações do documentário, resultará nas considerações articuladas ao pensamento analítico frente as estratégias de redução de danos no tratamento do uso abusivo das drogas, no contexto da saúde pública do Brasil. Os resultados e a discussões apontam que as drogas psicotrópicas como substâncias, provocam alteração no sistema nervoso central, onde 6% da população geral apresentam transtornos psicológicos graves decorrentes ao uso de álcool e outras drogas, o que origina prejuízos externos e internos na vida rotineira das pessoas. É por meio da estratégia da redução de danos (RD) que se promove melhorias na vida do usuário e consequentemente no âmbito social. Considera-se que esta, busca possibilitar o direito e a responsabilidade da pessoa diante de sua vida, onde o usuário é tratado de forma única, de acordo com a sua singularidade, desfocando da abstinência total do uso da droga. É um conjunto de atitudes, posturas e políticas públicas, que contribuem para a transformação da visão do mundo diante das drogas, tornando possível o diálogo entre a sociedade e o usuário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
Amaral, J., Junior, G., & Oliveira, J. (2018, fevereiro 1). A ESTRATÉGIA DO TRATAMENDO AS DROGAS ATRAVÉS DA REDUÇÃO DE DANOS: uma reflexão acerca do documentário ‘Crack, repensar’. Psicologia E Saúde Em Debate, 4(1), 175-188. https://doi.org/https://doi.org/10.22289/2446-922X.V4N1A12
Seção
Resenha