OS EFEITOS DA EQUOTERAPIA NO EQUILÍBRIO DE PRATICANTES COM SÍNDROME DE DOWN

  • Tatiane dos Reis Fernandes
  • Lacyelle Lúcia de Souza Faculdade Patos de Minas e Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Patos de Minas
  • Mariane Fernandes Ribeiro Faculdade Patos de Minas
Palavras-chave: Terapia Assistida por cavalos, Equilíbrio, Síndrome de Down

Resumo

A síndrome de Down apresenta algumas características particulares, e dentre elas, o déficit de equilíbrio é uma das consequências. A equoterapia é um método terapêutico que vem sendo utilizada por trazer benefícios a estes pacientes, incluindo a melhora do equilíbrio. O atual artigo foi realizado para averiguar os efeitos da equoterapia e sua melhora do quadro de equilíbrio em indivíduos com síndrome de Down. Foi realizada a busca pela base de dados: PubMed / LiLacs, SciELO, PEDro, utilizando as palavras-chaves: equoterapia, equilíbrio e síndrome de Down, bem como os seus correspondentes em inglês: hippotherapy, equilibrium, Down syndrome, utilizadas isoladamente ou em conjunto. Foram incluídos artigos entre os anos de 2006 a 2017, que relatam a melhora do equilíbrio em Síndrome de Down. Foram encontrados 492 artigos, e dentre eles, 5 se enquadravam nos parâmetros necessários para inclusão nesta revisão, sendo excluídos os demais. A maioria dos autores defenderam que a equoterapia vem se desenvolvendo tanto para ganhos de equilíbrio quanto outros ganhos motores, obtendo resultados significantes em adaptação do praticante. Verificou-se que a montaria com o mante e pé fora do estribo leva à uma maior atividade muscular, e que atividades lúdicas podem complementar o atendimento. Como resultados finais verificou-se que a prática de equoterapia trás grandes benefícios para paciente com síndrome de Down em relação ao equilíbrio estático e dinâmico, podendo também ser utilizada em outras patologias.

Publicado
2018-02-01
Como Citar
dos Reis Fernandes, T., Souza, L., & Ribeiro, M. (2018). OS EFEITOS DA EQUOTERAPIA NO EQUILÍBRIO DE PRATICANTES COM SÍNDROME DE DOWN. Psicologia E Saúde Em Debate, 4(1), 119-129. https://doi.org/10.22289/2446-922X.V4N1A7
Seção
Estudo Teórico