SENSIBILIDADE À FENILTIOCARBAMIDA E COMPORTAMENTO ALIMENTAR

I Simpósio Científico De Práticas Em Psicologia

  • Fernanda Caixeta
  • Fernanda Marques
  • Liliane Correia
  • Lorena Mendonça
  • Hugo Christiano Soares Melo

Resumo

A sensibilidade ao amargo pode ser analisada com o uso de soluções com baixa concentração de feniltiocarbamida (PTC). A reação de sensibilidade ao amargo provocado pelo PTC deve-se ao grupamento químico tiocianato (N-C=S) e é condicionada por um gene com um par de alelos, onde o alelo determinante da sensibilidade ao PTC é dominante (com quatro formas alélicas: T1, T2, T3 e T4) e o da insensibilidade é recessivo (t). Este trabalho visou apurar dados preliminares sobre a relação entre a sensibilidade ao amargo e a preferência alimentar em uma população tipicamente brasileira, pois a sensibilidade ao amargo pode induzir um comportamento alimentar pobre em vegetais e rico em carnes e carboidratos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-11-01
Como Citar
Caixeta, F., Marques, F., Correia, L., Mendonça, L., & Soares Melo, H. (2016). SENSIBILIDADE À FENILTIOCARBAMIDA E COMPORTAMENTO ALIMENTAR. Psicologia E Saúde Em Debate, 2(Supl. 1), 16-17. https://doi.org/10.22289/2446-922X.V2S1A5
Seção
Artigo original