EDUCAÇÃO SEXUAL NAS ESCOLAS: um desafio possível

Autores

  • Alexia Jade Machado Sousa Universidade Federal do Delta do Parnaíba https://orcid.org/0000-0002-5014-9220
  • Marielli Monte Araújo Universidade Federal do Delta do Parnaíba
  • Alessandra Jaira Machado Sousa Cristo Faculdade do Piauí
  • Paula Monte Araújo Universidade Federal do Piauí
  • Eugênia Bridget Gadelha Figueiredo Universidade Federal do Delta do Parnaíba https://orcid.org/0000-0001-5123-9482

DOI:

https://doi.org/10.22289/2446-922X.V7N1A2

Palavras-chave:

educação em saúde, saúde coletiva, educação

Resumo

Introdução: Nos últimos 50 anos se têm percebido um aumento na atividade sexual de crianças e adolescentes, com consequente aumento no número de gestações e prevalência de Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs). Objetivo: Analisar na literatura nacional dos últimos 5 anos aspectos relacionados a alguns desafios e potencialidades das ações de educação sexual nas escolas. Método: Foi realizada uma pesquisa de revisão narrativa da literatura. Resultados: Segundo a bibliografia consultada, o desenvolvimento das práticas de educação sexual nas escolas teve início no século XX, tendo como foco o controle de cunho epidemiológico, onde havia apenas discussões de cunho religioso de caráter higienista como estratégia de saúde pública. Conclusão: Mudanças na sociedade e movimentos feministas têm impulsionado debates sobre temas como a educação sexual, trazendo para um cotidiano a relevância de trabalhar tal questão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexia Jade Machado Sousa, Universidade Federal do Delta do Parnaíba

Graduanda do curso de Psicologia na Universidade Federal do Delta do Parnaíba.

Marielli Monte Araújo, Universidade Federal do Delta do Parnaíba

Graduanda do curso de Psicologia na Universidade Federal do Delta do Parnaíba.

Alessandra Jaira Machado Sousa, Cristo Faculdade do Piauí

Fisioterapeuta pela Cristo Faculdade do Piauí.

Paula Monte Araújo, Universidade Federal do Piauí

Graduanda do curso de Nutrição na Universidade Federal do Piauí.

Eugênia Bridget Gadelha Figueiredo, Universidade Federal do Delta do Parnaíba

Doutora em Psicologia Social pela PUC-SP. Mestre em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará. Professora efetiva da Universidade Federal do Delta do Parnaíba no curso de graduação em Psicologia, com área de atuação em psicologia comunitária, psicologia ambiental e saúde coletiva.

Referências

Almeida, S. A. D., Nogueira, J. D. A., Silva, A. O., & Torres, G. V. (2011). Orientação sexual nas escolas: fato ou anseio?. Revista gaúcha de enfermagem, 32(1), 107-113.

Belisse, C. L. (2012). Atividade Sexual Precoce na Adolescência: a importância da educação sexual nas escolas. Projeto de Desenvolvimento Educacional (PDE) desenvolvido pela SEED/PR. Paraná, 1460-8.

Brasil. Governo do Estado do Rio Grande do Sul. Programa Saúde na Escola. Acessado em 30 de novembro de 2020. Disponível em: https://atencaobasica.saude.rs.gov.br/upload/arquivos/201902/27090046-pse-orientacoes-ciclo-2019-2020-1.pdf

Campos, H. M., de Paiva, C. G. A., de Araújo Mourthé, I. C., Ferreira, Y. F., Assis, M. C. D., & Fonseca, M. D. C. (2018). Diálogos com adolescentes sobre direitos sexuais na escola pública: intervenções educativas emancipatórias! Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais, 13(3), 1-16.

Ew, R. D. A. S., Conz, J., Farias, A. D. G. O., Sombrio, P. B. M., & Rocha, K. B. (2017). Diálogos sobre sexualidade na escola: uma intervenção possível. Revista Psicologia em Pesquisa, 11(2). doi: 10.24879/2017001100200155

Ferreira, I. G., Piazza, M., & Souza, D. (2019). Oficina de saúde e sexualidade: Residentes de saúde promovendo educação sexual entre adolescentes de escola pública. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, 14(41), 1788-1788. doi: 10.5712/rbmfc14(41)1788

Foucault, M. (2008). Vigiar e Punir, tradução de Raquel Ramalhete. 35ª edição. Petrópolis/RJ, Editora Vozes.

Furlanetto, M. F., Lauermann, F., Costa, C. B. D., & Marin, A. H. (2018). Educação sexual em escolas brasileiras: revisão sistemática da literatura. Cadernos de Pesquisa, 48(168), 550-571. doi: 10.1590/198053145084

Guedes, J. C., dos Santos, H. O., & Neto, I. P. F. (2017). A abordagem da educação sexual nos espaços escolares: um olhar sobre a perspectiva dos alunos do ensino médio de Guaraí/TO. Educationis, 5(2), 34-40. doi: 10.6008/SPC2318-3047.2017.002.0004

Lara, L. A. D. S., & Abdo, C. H. N. (2015). Aspectos da atividade sexual precoce. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, 37(5), 199-202. doi: 10.1590/SO100-720320150005207

Louro, G. L. (2008). Gênero e sexualidade: pedagogias contemporâneas. Pro-posições, 19(2), 17-23. doi: 10.1590/S0103-73072008000200003

Mariano Júnior, E. B. (2018). Educação para sexualidade na escola, com foco nas práticas de prevenção do HIV/Aids e promoção da saúde sexual.

Minayo, M. C. S., & Gualhano, L. (2015). Riscos sociais e proteção à saúde dos adolescentes. Ciênc. saúde coletiva, 20(1).

Moraes, L. D., Franca, C. D., Silva, B., Valença, P., Menezes, V., & Colares, V. (2019). Iniciação sexual precoce e fatores associados: uma revisão da literatura. Psicologia, Saúde & Doenças, 20(1), 59-73. doi: 10.15309/19psd200105

Paiva, V., Antunes, M. C., & Sanchez, M. N. (2019). O direito à prevenção da Aids em tempos de retrocesso: religiosidade e sexualidade na escola. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, 24. doi: 10.1590/Interface.180625

Pautasso, M. (2020). The structure and conduct of a narrative literature review. In R. S. Tubbs, S. M. Buerger, M. M. Shoja, A. Arynchyna & M. Karl (Eds.), A guide to the scientific career: virtues, communication, research, and academic writing (pp.299-310). Hoboken: Wiley Blackwell.

Petry, A. R., & Meyer, D. E. (2011). Transexualidade e heteronormatividade: algumas questões para a pesquisa. Textos & Contextos (Porto Alegre), 10(1), 193-198.

Pinheiro, A. D. S., Silva, L. R. G. D., & Tourinho, M. B. A. D. C. (2017). A estratégia saúde da família e a escola na educação sexual: uma perspectiva de intersetorialidade. Trabalho, Educação e Saúde, 15(3), 803-822. doi: 10.1590/1981-7746-sol00084

Queiroz, M. V. O., de Alcântara, C. M., Brasil, E. G. M., & da Silva, R. M. (2017). Participação de adolescentes em ações educativas sobre saúde sexual e contracepção. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, 29, 58-65.

Vieira, P. M., & Matsukura, T. S. (2017). Modelos de educação sexual na escola: concepções e práticas de professores do ensino fundamental da rede pública. Revista Brasileira de Educação, 22(69), 453-474. doi: 10.1590/s1413-24782017226923

Sayão, Y. (1997). Orientação sexual na escola: os territórios possíveis e necessários. Em: J. G. Aquino. Sexualidade na escola – alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus.

Downloads

Publicado

2021-01-18

Como Citar

Sousa, A. J. M., Araújo, M. M., Sousa, A. J. M., Araújo, P. M., & Figueiredo, E. B. G. (2021). EDUCAÇÃO SEXUAL NAS ESCOLAS: um desafio possível. Psicologia E Saúde Em Debate, 7(1), 15–26. https://doi.org/10.22289/2446-922X.V7N1A2

Edição

Seção

Estudo Teórico