INTERPROFISSIONALIDADE E SAÚDE MENTAL: UMA REVISÃO INTEGRATIVA

  • Estefânia Bisognin Cervo Universidade Franciscana
  • Malwiani Aparecida Caumo Universidade Franciscana
  • Ana Luiza Parcianello Cerdótes Universidade Franciscana
  • Fernanda Pires Jaeger Universidade Franciscana
Palavras-chave: Educação Interprofissional, Saúde Mental, Práticas Interdisciplinares

Resumo

Objetivo: Analisar as pesquisas científicas sobre o trabalho interprofissional na saúde mental. Métodos: Foi realizada uma revisão integrativa sobre a produção científica da relação de saúde mental e a interprofissionalidade. A pesquisa foi realizada nas bases de dados da Literatura Latino-americana e do Caribe das Ciências da Saúde (LILACS) e Scientific Electronic Libraly Online (SciELO) no mês de fevereiro de 2020, como atividade do Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde (PET-Saúde). Resultados: Foram selecionados 10 artigos que preencheram os critérios de seleção. Os artigos selecionados foram separados em três tópicos principais: formação e campo de trabalho, interdisciplinaridade no atendimento em saúde mental e benefícios da interprofissionalidade para a saúde mental. Considerações Finais: Destaca-se a importância de um maior fortalecimento da proximidade da graduação com a prática do SUS e do campo de Saúde Mental. Percebe-se também a escassez de estudos que abordam a questão da interprofissionalidade nos serviços de saúde, nos artigos analisados mostrou-se mais comum o trabalho interdisciplinar do que o interprofissional. A interprofissionalidade mostrou ser um modelo de trabalho em saúde mais adequado, visando o atendimento integral do indivíduo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Arona Costa, E. (2009). Implantação de matriciamento nos serviços de saúde de Capivari. Saúde e Sociedade, 18(1). Recuperado em 1 de fevereiro de 2020 de: https://doi.org/10.1590/S0104-12902009000500005

Baldwin, D. C. (2007). Algumas notas históricas sobre educação e prática interdisciplinar e interprofissional em cuidados de saúde nos EUA. J Interprof Care, 21(1). Recuperado em 1 de fevereiro de 2020 de: https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/13561820701594728

Ballarin, M. L. G. S., Carvalho, F. B., Ferigato, S. H., & Miranda, I. M. S. (2011). Percepção de profissionais de um CAPS sobre práticas de acolhimento no serviço. O Mundo da Saúde, 35(2). Recuperado em 1 de fevereiro de 2020 de: http://www.saocamilo-sp.br/pdf/mundo_saude/84/162-168.pdf

Barr, H., Koppel, I., Reeves, S., Hammick, M., & Freeth, D. (2005). Educação Interprofissional Eficaz: Argumento, Suposição e Evidência. (1 ed.). Recuperado em 1 de fevereiro de 2020 de: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/pdf/10.1002/9780470776445.fmatter

Bezerra, E. B. N., Silva, E. F., Oliveira Máximo, T. A. C., & Melo, J. S. V. B. (2018). O trabalho de equipes interdisciplinares nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS). Estud pesqui psicologia, 18(1). Recuperado em 24 de maio de 2020 de: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/epp/v18n1/v18n1a10.pdf

Brasil. (2004). Legislação do SUS. (20 ed.). Recuperado em 24 de maio de 2020 de: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/progestores/leg_sus.pdf

Brasil. (2006). Residência multiprofissional em saúde: experiências, avanços e desafios. (Primeira ed.). Recuperado em 24 de maio de 2020 de: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/residencia_multiprofissional.pdf

Brasil. (2011). Portaria nº 3088. (1 ed.). Recuperado em 24 de fevereiro de 2020 de: http://www.sejudh.mt.gov.br/documents/412021/3643910/Portaria%C2%B1MS%C2%B1n%C2%BA%C2%B13%20088-11%C2 % B1-% C2% B1RAPS% C2% B1% 20% C2% B1Rede% C2% B1de% C2% B1Aten% C3% A7% C3% A3o% C2% B1Psicossocial.pdf / c8df878b-% 20d174-4a04-8798-3446187f8

Camara, A. M. C. S., Grosseman, S., & Pinho, D. L. M. (2015). Educação interprofissional no Programa PET-Saúde: uma percepção de tutores. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, 19(1), 817-829. Recuperado em 24 de maio de 2020 de: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-32832015000500817&script=sci_abstract&tlng=pt

Ceccim, R. B. (2018). Conexões e fronteiras da interprofissionalidade: forma e formação. Interface, 22(2), 1739-1749. Recuperado em 24 de maio de 2020 de: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1414-32832018000601739&lng=pt&nrm=iso

Dimenstein, M., Sever, A. K., Brito, M., Pimenta, A. L., Medeiros, V., & Bezerra, E. (2019). O apoio matricial em unidades de saúde da família: experimentando inovações em saúde mental. Saúde e Sociedade, 8(1), 63-74. Recuperado em 24 de junho de 2020 de: https://www.scielo.br/pdf/sausoc/v18n1/07.pdf

Paulo Evangelista, A. L., Frota, A. C., Torres, R. B. S., & Holanda Cunha Barreto, I. C. (2018). Residência integrada em saúde mental: cuidado à rede de atenção psicossocial. Revista Brasileira de Promoção da Saúde, 31(4), 1-11. Recuperado em 24 de maio de 2020 de: https://periodicos.unifor.br/RBPS/article/view/8774/pdf

Foucault, M. (2011). Microfísica do Poder. Recuperado em 24 de maio de 2020 de: https://www.nodo50.org/insurgentes/biblioteca/A_Microfisica_do_Poder_-_Michel_Foulcault.pdf

Gaino, L. V., Souza, J., Cirineu, C. T., & Tulimosky, T. D. (2018). O conceito de saúde mental para profissionais de saúde: um estudo transversal e qualitativo. Rev Eletrônica Saúde Mental Álcool Drog, 14(2), 108-116. Recuperado em 24 de maio de 2020 de: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/smad/v14n2/07.pdf

Hirdes, A. (2009). A reforma psiquiátrica no Brasil: uma revisão. Ciência & Saúde Coletiva, 14(1), 297-305. Recuperado em 24 de maio de 2020 de: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=s1413-81232009000100036&script=sci_abstract&tlng=pt

Hugh, B. (2005). EDUCAÇÃO INTERPROFISSIONAL Hoje, ontem e amanhã. Recuperado em 24 de maio de 2020 de: https://www.unmc.edu/bhecn/_documents/ipe-today-yesterday-tmmw-barr.pdf

Institute Of Medicine. (2013). Educação interprofissional para colaboração: aprendendo a melhorar a saúde a partir de modelos interprofissionais em todo o continuum da educação à prática. Recuperado em 24 de janeiro de 2020 de: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/24901189/

Jorge, M. S. B., Almeida Sales, F. D., Pinto, A. G. A., & Sampaio, J. J. C. (2010). Interdisciplinaridade no processo de trabalho no centro de atenção psicossocial. Promoção da Saúde, 23(3), 221. Recuperado em 24 de maio de 2020 de: https://periodicos.unifor.br/RBPS/article/view/2019/2315

Jorge, M. S. B, Vasconcelos, M. G. F., Neto, J. P. M. N., Gondim, L. G. F., & Simões, E. C. P. (2014). Possibilidades e desafios do apoio matricial na atenção básica: percepções dos profissionais. Revista Psicologia: Teoria e Prática, 16(2), 63-74. Recuperado em 24 de fevereiro de 2020 de: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-36872014000200006

Leal, B. M., & Antoni, C. (2013). Os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS): estruturação, interdisciplinaridade e intersetorialidade. Aletheia, 40(1), 87-101. Recuperado em 24 de maio de 2020 de: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/aletheia/n40/n40a08.pdf

Leão, A., & Barros, S. (2008). Como representações sociais dos profissionais de saúde mental, sobre o modelo de atenção e as possibilidades de inclusão social. Saúde e Sociedade, 17(1), 95-106. Recuperado em 24 de maio de 2020 de: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-12902008000100009&script=sci_abstract&tlng=pt

Lima, I. C. B. F., & Passos, I. C. F. (2019). RESIDÊNCIAS INTEGRADAS EM SAÚDE MENTAL: PARA ALÉM DO TECNICISMO. Trabalho, Educação e Saúde, 17(2), 1981-7746. Recuperado em 24 de maio de 2020 de: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1981-77462019000200512&script=sci_arttext

Moreira, C. P., Torrenté, M. O. N., & Jucá, V. J. S. (2018). Análise do processo de acolhimento no Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil: considerações de uma investigação etnográfica. Interface, 22(67), 1123-1134. Recuperado em 24 de maio de 2020 de: https://www.scielo.br/pdf/icse/v22n67/1807-5762-icse-1807-576220170500.pdf

Nuim, J. B., & Francisco, E. I. (2019). Manual de educação interprofissional em saúde. Elseiver, 9. Recuperado em 22 de junho de 2020 de: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rdes/article/view/13548

Organização Mundial da Saúde. (1990). Declaração de Caracas. Recuperado em 2 de janeiro de 2020 de: https://www.scielosp.org/article/physis/2012.v22n2/621874-639/

Quinderé, P. H. D., & Jorge, M. S. B. (2010). (Des)Construção do Modelo Assistencial em Saúde Mental na Composição das Práticas e dos Serviços. Saúde Sociedade, 19(3), 569-583). Recuperado em 12 de agosto de 2020 de: https://www.scielo.br/pdf/sausoc/v19n3/09.pdf

Reeves, S. (2016). Porque precisamos da educação interprofissional para um cuidado efetivo e seguro. Interface, 20(56), 185-196. Recuperado em 24 de maio de 2020 de: https://www.scielo.br/pdf/icse/v20n56/pt_1807-5762-icse-20-56-0185.pdf

Streit, D. S., Barbosa, F., & Lampert, J. (2012). 10 Anos de Diretrizes Curriculares Nacionais. Recuperado em 24 de janeiro de 2020 de: https://www.scielo.br/pdf/rbem/v37n4/a09v3874527n4.pdf

Wetzel, C., Kohlrausch, E. R., Pavani, F. M., Batistella, F. S., & Pinho, L. B. (2018). Análise sobre a formação interprofissional em serviço no Centro de Atenção Psicossocial. Interface, 22(2), 1729-1738. Recuperado em 22 de maio de 2020 de: http://dx.doi.org/10.1590/1807-57622017.0664.

Publicado
2020-10-26
Como Citar
Cervo, E. B., Caumo, M. A., Parcianello Cerdótes , A. L., & Pires Jaeger , F. (2020). INTERPROFISSIONALIDADE E SAÚDE MENTAL: UMA REVISÃO INTEGRATIVA. Psicologia E Saúde Em Debate, 6(2), 260-272. https://doi.org/10.22289/2446-922X.V6N2A17
Seção
Estudo Teórico